domingo, abril 25, 2010

ANO V - Etapa 45

MOMENTO DIFÍCIL

Estará daqui a algumas horas na estrada a 2.ª edição do Memorial Bruno Neves...
Ao contrário do que aconteceu o ano passado, não vou estar presente e isso dói-me porque falto ao encontro com um amigo...
Mas não pude ir.

Passado todo este tempo, ainda conseguem trazer-me aos dentes a raiva de insinuações torpes, sem o mínimo se sustentação...

Pensarão no que escrevem?

Eu sei que há favores que nunca estarão pagos, por isso a coluna de invertebrados se alarga... mas, para quem tiver um pouco de dignidade, não há-de ser fácil - digo eu, que nunca passei por isso - insistir em reacender um fogo com um fósforo que teima em não acender-se...

... e depois ver a prova da homenagem ao Bruno ser incluída no Calendário da Taça de Portugal.

Há-de ser assim uma espécie de vergonha de quem alçou a perna e mijou nas calças erradas.
Que se lixe!...

O mais importante, a única coisa que hoje sobressai é que a MEMÓRIA do nosso BRUNO é, daqui a pouco, posta outra vez à prova. E, se acontecer como o ano passado, quem lá estiver - infelizmente eu não vou estar - vai testemunhar, não que são os Amigos e os 'amigos', mais... repetindo-me, quem são os Homens e... os homenzinhos.

Querido BRUNO... tu sabes, e não preciso dizer mais nada.

PS.: Uma vez mais, peço desculpa à família do Bruno, ao Paulo Silva, ao Pedro Costa e a todos os que erguem esta corrida, não o eu não estar presente, que eu sou apenas... ninguém, mas o não poder ser mais um 'ninguém' junto de vós.

3 comentários:

cristina neves disse...

um grande beijo Zé, e tu és um "ninguém" que estará sempre nos nossos corações, obrigada de todos nós

Uniao Ciclista disse...

Olá,
Quero dar os meus parabéns à organização da prova do passado Domingo. Parabéns à familia Neves, ao Zé Augusto, ao Paulo "bolinhas", Pedro Costa e restantes elementos. Parabéns pela forma aprimorada da organização: livro, crachats, vestuário, carros, autocolantes, estruturas, etc.
É com grande satisfação que vejo a familia Neves participativa e empenhada na sua prova, ao contrario de muitas outras que enquanto os filhos correm aparecem, mas depois quando estes terminam nunca mais sabemos delas. Demonstram que apesar da desgraça que lhes bateu à porta, continuam a gostar do ciclismo e a puxar por este.
Das qualidades do Bruno já tudo se disse, gostava apenas de revelar uma curiosidade, cheguei a "contratá-lo" por duas ocasiões, a primeira para a equipa júnior do Gondomar e a segunda para a equipa sub-23 do Boavista. Apenas na pré época do Boavista privei mais de perto com ele, razões profissionais ditariam o meu afastamento das equipas. Dizia-me o pai Neves, o senhor ainda há de treinar o Bruno! Infelizmente tal não veio a acontecer...
Tenho o Bruno no meu pensamento, estou à trinta e dois anos no ciclismo e já vi partir muitos, "Quinzinho", José Santiago, José Fernandes (irmão Venceslau), Manuel Abreu, Manuel Pinto, Cosme de Oliveira, Brito da Mana, Zeca Teixeira, Manuel Maduro, António Fernandes (ACP), Armando Santiago, Francisco Nunes, ... e todos engrandeceram o nosso desporto.
Continuem a viver a vida e o ciclismo!
Obrigado,
Paulo Couto

cristina neves disse...

muito obrigada Sr.Paulo Couto,

de facto estar dentro do ciclismo faz-nos sentir o nosso "menino" de certa forma perto de nós...os amigos dele são um bocadinho "ele" para cada uma de nós...
peço-lhe que continue a lutar para que o ciclismo não morra como está a acontecer...existe muita gente todos os dias a querer matá-lo,e o incrivél é que vivem dele..?????!!!
cumprimentos

cristina neves