segunda-feira, dezembro 31, 2012

ANO VIII - Etapa 2

A Todos os que durante todos estes anos me seguiram...
... aos que me insentivaram;
... aos que me vilipendiaram;
... aos que foram simpáticos para comigo;
... aos que procuraram infernizar-me a vida;
... aos que ainda se lembram de mim;
... aos que já não querem lembrar-se;
... aos que já me esqueceram;
... a todos, enfim, que foram a razão de ser deste espaço,
 
Um Bom Ano de 2013!
Até sempre...

quarta-feira, novembro 07, 2012

quarta-feira, setembro 12, 2012

ANO VII - Etapa 51

RIDÍCULOS

Aplaudo a mãos ambas o esforço de manterem o Ciclismo nos 'desportivos'. Batendo e rebatendo a Vuelta (não sabem que está a decorrer a Volta à Grã-Bretanha? As agências não dão? Mas a EuroSporto mostra diariamente, e em directo as etapas...) - hoje não pude ver porque entrei no Hospital de Santa Maria às 9.10 e saí às 17.50 :-(

No entanto só um deles (jornais, que só agora estou a ver), e só poderia ser aquele, se marimba para o gesto de Alberto Contador que ergueu «desafiando o TAS (???)» SEIS DEDOS, assinalando as suas seis vitórias na estrada, no Giro, no Tour e na Vuelta, para...
FALAR DO ASSUNTO DO DIA!

Que os outros deixaram passar.

RUI COSTA, PORTUGUÊS, DA AFURADOURA, PÓVOA DE VARZIM, está à beira de terminar a temporada como NONO MELHOR CLASSIFICADO DO ANO NO RANKING DA UCI, para o WOLRD TOUR.
Um lugar entre os... MELHORES DEZ CORREDORES DE 2012!
Coisa que, começando no Joaquim Agostinho, passando pelo Acácio da Silva, José Azevedo ou mesmo Sérgio Paulinho, medalha de prata nuns Jogos Olímpicos, nem 'cheiraram'.

Uns, estarão distraídos; outros com alguma brotoeja (é um termo alentejano) em falar da Aguçadoura e da Póvoa de Varzim.

CLARO QUE O RUI SE ESTÁ NAS TINTAS!
PARABÉNS RUI...
(infelizmente duvido que possa assistir a êxitos teus ainda maiores...)

terça-feira, setembro 11, 2012

ANO VII - ETAPA 50

CULPADOS...

O Tribumal Criminal de Lisboa, não fora essa perniciosa... permissa que o nosso Sistema Judicial, Claramente 'desenhado' para favorecer quem tem dinheiro, a mais concreta confirmação de que TODOS SOMOS IGUAIS PERANTE A LEI, mas... HÁ UNS MAIS IGUAIS QUE OS OUTROS, e já hoje teríamos, ainda que dado o... 'peso Social' dos condenados [NÃO SÃO ARGUIDOS, SÃO CONDENADOS!!!] a pernoitar estes quatro Senhores na, é evidente, 'pensão' de, pelo menos, TRÊS ESTRELAS do chamado Estabelecimento Prisional adjacente às instalações da Polícia Judiciária.

Repesco de um dos 'desportivos':
João Vieira Pinto - UM ANO de pena de prisão, suspenso por igual período contra o pagamento de 169.629,00 euros. O Senhor é Director da Federação Portuguesa de Futebol;
José Veiga - DOIS ANOS E DOIS MESES de prisão acumulados a mais TRÊS ANOS E NOVE MESES de prisão, com pena única suspensa de quatro anos e meio, contra uma multa de 169.629 euros... a pagar em quatro prestações. O Senhor ERA apenas um agente de jogadores pelo que terão que me explicar qual o seu estatuto social;
Luís Duque - Administrador do Sporting Futebol SAD, à altura dos acontecimentos - ano 2000 -, DOIS ANOS DE PRISÃO, com suspensão por quatro anos e três meses, contra o pagamento de 169.629 euros. O Senhor é, de novo, administrador do Sporting Futebol SAD e director principal para o futebol profissional (e é advogado!, sublinhe-se!);
Rui Meireles - DOIS ANOS DE PRISÃO, com suspensão por quatro anos e três meses, contra o pagamento de 169.629 euros. O Senhor era, na altura, responsável pelo Departamento Financeiro do clube.

Foram CONDENADOS por FRAUDE FISCAL, o primeiro, o segundo e o quarto; por FRAUDE FISCAL E BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS... o terceiro.

A esta hora, deviam estar no calabouço, mas provavelmente até foram jantar fora e vão dormir nas suas caminhas - ATENÇÃO - não porque recorreram mas porque PODEM VIR A RECORRER, primeiro à Relação e depois ao Supremo...
Vamos lá mas é beber um copo.

Destaco a óbvia opinião de Fernando Guerra (em 'A BOLA')...
«Paulo Pereira Cristóvão foi empurrado para a porta de saída do Sporting por causa de indícios. Em relação a LUÍS DUQUE o quadro é bem mais complexo: EXISTE UMA CONDENAÇÃO»



(destaques, em relação à Opinião do Fernando Guerra, são da minha responsabilidade)

sábado, agosto 25, 2012

ANO VII - Etapa 49

CAROS COMPANHEIROS... DEIXEM DE SER TONTOS

Vocês podem não ter conhecimentos para isso, mas escusam de se tornarem em motivo de chacota de toda a gente que percebe de Ciclismo. Basta uma pitadinha de bom senso.

A USADA - que, por brincadeira, poderia chamar de ab...usada - não tem poder para retirar os títulos conquistados pelo Lance Armstrong. Mais, pode - se a Lei estadunidense for, neste caso, semelhante à portuguesa - irradiá-lo e impedi-lo de correr mais. Mas estamos a falar de Ciclismo que tem, a começar pelos Estados Unidos, uma federação de Ciclismo que é um organismo autónomo e que poderá, até, aceitar os argumentos da USADA. Mas, a FC dos EUA é filiada na União Ciclista Internacional (UCI) e esta terá que ser consultada num caso destes que, afinal de contas, nem é um caso meramente desportivo, é um caso de Tribunal. E a UCI, tal como a FIFA (do futebol, convém acrescentar, porque não tenho a certeza de que o saibam), não permitem que casos desportivos sejam julgados fora do seu âmbito. Explicando melhor, não permite o recurso aos tribunais civis.

Em que é que todo este problema se sustenta?
Primeiro convirá sublinhar que durante toda a sua vitoriosa carreira Lance Armstrong - que ganhou praticamente todas as corridas por etapas em que participou - foi diariamente sujeito a um controlo anti-doping supervisionado pela AMA (Agência Mundia Anti-dopagem).
Que também não estará lá muito satisfeita por se ver ultrapassada pela USADA.

Ora, o que está em causa são as vitórias do Lance Armstrong no Tour.
Estes então, mesmo que não morram de amores por Armstrong vão mover todos os cordelinhos, seja junto da AMA, seja junto da UCI para pôr a USADA na 'ordem'. Não faço aqui juízos de valor, mas
a verdade, e como já referi, os controlos anti-doping do Tour são da responsabilidade da AMA. Sete anos de 'batota' poriam em causa todos os seus super-hiper-equipados laboratórios.

O que a USADA está a fazer é 'abanar' toda a estrutura da AMA, pondo em causa os resultados escrutinados pelos seus laboratórios.
Quem mais irá acreditar, se a USADA 'ganhar', no complexo - e extremamente caro, e pago com o dinheiro que sai dos bolsos dos contribuintes, na fiabilidade desses laboratórios? Que não são mais do que meia dúzia e entre os quais se encontra o português.

Mas há mais...
A ASO (organizadora do Tour de mais de meia dúzia de provas de topo, incluindo uma no Mundo árabe, que paga em notas o que lhe for pedido e que sustenta a empresa) mais, por exemplo, do Rali Dakar, não vai deixar que no palmarés do Tour, - 'só' a terceira mais importante manifestação desportiva do Mundo, atrás dos Jogos Olímpicos e do Campeonato do Mundo de Futebol - veja apagado o nome do vencedor de... sete edições consecutivas.

Mais ainda...
... seria inevitável perguntar-e como é que Miguel Induraín venceu cinco Tour seguidos; como é que Bérnard Hinauld também foi cinco vezes ao degrau mais alto do pódio, em Paris, e o mesmo aconteceu com Eddy Merckx.. e vamos desenterrar o Jacques Anquetil e entregá-lo ao CSI Nova Iorque para que as ossadas sejam minuciosamente analisadas?
Era o desmoronamento total do Tour... que está entre, pelo menos, as 250 maiores empresas do Mundo em termos de facturação. A ASO muito provavelmente entre as primeiras 150.

E quem, até por estes números, é o grande suporte da UCI?
E vão, a UCI e a ASO - mais a AMA, mais a AMA... - deixar que a USADA lhes tire da boca o pãozinho que comem?
Só um perfeito imbecil, ingénuo a cair para o lado do atrasado mental acredita nisto.

Completamente por fora da realidade, pese embora se cruzem aí nos corredores da redacção com, provavelmente, o melhor jornalista especialista de Ciclismo no activo [e porque é que os que não estando já no activo permitem desbragadas destas?! Estão-se nas tintas? É?!...] limitam-se a traduzir os 'takes' da AFP ou a mudar um ou dois períodos dos textos que a Lusa vos faz chegar.

Já escrevi ontem, Lance Armtrong não é uma pessoa qualquer nos Estados Unidos. É tão famoso como o lote dos mais famosos actores ou políticos e fartou-se de alimentar a ébria conduta da USADA.
Volto só um bocadinho atrás... A AMA e a UCI pediram, há cerca de um mês, uma cópia dos documentos que, alegadamente - porque ninguém sabe, de facto, se os tem - que a USADA pretende usar para 'incenerar' o Lance Armstrong. Esta negou-o alegando que a UCI - e a AMA - podem saber tudo (?) e tentar desacreditá-la.

O que é que acham que vai MESMO acontecer?
Isso mesmo.

No máximo, a USADA, que alegadamente possui depoimentos - e já irradiou três figuras menores, numa clara 'demonstração de poder' dos fracos - de ex-companheiros de Armstrong que, tantos anos depois (sabem que Lance Armstrong nunca ganhou nada com o Ciclismo, sendo que os prémios das corridas, mesmo que aqueles que ele próprio ganhou, foram sempre distribuídos pelos restantes companheiros e staff de apoio - mecânicos, massagistas, motoristas...), já fora da equipa, aparecem a jurar a pés juntos que o viram dopar-se.
1.º... esperaram até já não pertencerem à equipa onde ganhavam mais que o ordenado estipulado, porque recebia a fatia dos prémios que o Armstrong conquistava, e sabem quanto vale a vitória no Tour? Só no Tour, deixemos para trás as outras corridas. Sabem?
2.º... é «evidente» que quando o Armstrong se 'dopava' chamava toda a equipa para o testemunhar.

Qualquer advogado estagiário desmontaria esta teoiria.

O que é que, no máximo, a USADA pode conseguir?
Se tem depoimentos válidos, levar Lance Armstrong a julgamento num tribunal cível. Se provar que tem razão... irradiá-lo.
Mas nos Estados Unidos, como sabem, os julgamentos são com um juri, não é o juíz que decide.
O juri é escolhido a meias, cada uma das partes indica metade do conjunto total e os grandes protagonistas são os advogados. Equipas de advogados que, muitas vezes ultrapassam o número de corredores que formam uma equipa de Ciclismo.

Terá Lance Armstrong dificuldade em formar uma equipa para ganhar? Duvido...
E os juris têm uma tendência enorme para 'castigar' corporações.

Lance Armtrong - não digo que não aconselhado - desiste de 'provar' que está inocente!
Ah!, nos Estados Unidos, como na esmagadora maioria dos países civilizados e democráticos, o sistema judicial deixa o ónus da prova à conta da acusação...

Não baixou a guarda, como hoje li algures. A partir de agora a 'bola' está do lado da USADA.
E ele sabe que a esmagará. E não estranhem que esta retroceda nas acusações - pode continuar a velipendiar a UCI e a AMA que há-de sempre aparecer um jornalista idiota a transcreve-la - e opte pela... sobrevivência.

Só vos pedia que não dêem como confirmado uma coisa que - espero terem entendido - é, em definitivo, demasiado complexa para as vossas cabecinhas!

MZM

ANO VII - Etapa 48

A USADA QUE PONHA TODAS AS CARTAS NA MESA...

Há meses que o 'circo' foi montado, tantos que, ao proncípio o próprio Lance Armstrong, se achou na necessidade de, Urbi et Orbi, ie lutar pelo seu bom nome.

Mas isto das 'agências' anti-doping, no Ciclismo - e porque não há notícias de outras modalidades? - está a tornar-se monótono.

Falo, já perceberam, da 'bomba'-Armstrong.

Leio, em vários jornais, notícias iguais, ou muito parecidas, daí a chegar ao facto que todas, mais toque, menos retoque, a foram beber à mesma agência nem se põe.

O engraçado é, primeiro, como cada jornal a interpreta...
Depois a total ignorância dos pseudo-jornalistas (mesmo com canudo, coisa que eu não tenho) sobre como trabalhar uma notícia.

A BOLA não se fica pelas meias medidas:
«Armtrong perde as sete vitórias na Volta à França.»

O Record encolhe-se um pouco:
«Armstrong deverá perder títulos do Tour.»

O Jogo é bem mais assertivo:
«USADA quwe 'apagar' 14 anos da história de Armstrong e que a UCI irradie Armstrong.»

Ora aí está e os primeiros, ou foram 'anjinhos' ou, o que hoje em dia é mais fácil de acreditar... ignorantes.

Primeiro, e vão ter que me mostrar em documentos oficiais, preto no branco, a USADA não pode - como a nossa toda 'inchada' ADoP' - ROUBAR títulos a ninguém.

Em algum dos mais de 600 controlos anti-doping que o Lance Armstrong fez durante este tempo, deu positivo?
NÃO! - e por isso 'desistiu de lutar..."
Dou um doce a quem acertar no número exacto de dólares que a sua Fundação vai reclamar, e, é mais do que certo, ganhar em tribunal, por 'abuso de figura pública, yendo em conta tirar proveiros indevidos'.

Adivinho que o director da USADA precisa, urgentemente, de um cargo mais bem remunerado. Ou que esteja a fazer um favos a alguén que lho prometeu.

Mas antes que me perca, voltemos à forma como os jornais desportivos portugueses 'agarraram' a notícia.

Eu NÃO FAÇO COMENTÁRIOS.....

A BOLA - »Armstrong perde as sete vitórias na Volta a França.»
RECORD - «Armstrong deverá perder títulos do Tour.»
O JOGO: « USADA quer que UCI também, irradie Armstrong.»

Falta aqui uma peça-chave para que se compreenda esta 'charada' e essa é:
«Armstrong abdica de lutar contra a acusação de doping.»

Ora, e o que quer isto dizer, em termos jurídicos?
Exactamente...
Se a USADA tem provas, que as apresente no local apropriado. Aliás, e quem tem o vício de ler jornais, ainda a semana passada a USADA se recusou a dar à UCI cópias do que, pretensamente, possui. Porquê?

E - mas alguém acha mesmo que o Homem é parvo? - oito dias depois Lance Armstrong abdica de lutar contra a acusação da USADA.

Agora, é esta, não pedir, MAS PROVAR que que tem, DE FACTO algo de inegável em mãos que tem que avançar.

E se não tiver nada? Ou o que tiver não tenha peso suficiente para para sustentar a acusação?
Ninguém tentou sequer ouvir o Lance Armstrong. APENAS RECUPERARAM UMA FRASE QUE ELE DISSE HÁ MAIS DE UM ANO!

Jornalismo de cú sentado!

quinta-feira, agosto 16, 2012

ANO VII - Etapa 47

POLICIAMENTO
GOVERNO APROVOU NOVA LEGISLAÇÃO

O Governo aprovou hoje um diploma que define o regime de policiamento de espetáculos desportivos e de satisfação dos encargos com o policiamento de espetáculos desportivos em geral. Recorde-se que a Associação de Ciclismo do Minho tem desenvolvido inúmeras diligências com vista à resolução do problema do policiamento de atividades desportivas realizadas na via pública que, por não serem praticadas em “recintos desportivos”, não tem direito à ajuda financeira do Estado para o policiamento.

De acordo com o comunicado do Conselho de Ministros, "com este diploma ficam definidas as regras relativas ao policiamento dos espetáculos desportivos, a responsabilidade dos promotores e a comparticipação do Estado nos encargos com o policiamento".

Segundo a Associação de Ciclismo do Minho (ACM) "a nova legislação poderá traduzir uma evolução muito significativa em relação à legislação vigente se a satisfação dos encargos com o policiamento de espetáculos desportivos em geral englobar de fato o policiamento das modalidades desportivas que decorrem na via pública".

"Este Governo", prossegue a ACM, "manifestou-se sempre sensível ao problema do policiamento das atividades desportivas realizadas na via pública. Após as audiências que tivemos com os senhores Ministro da Administração Interna e Secretário de Estado do Desporto e Juventude foi criado um grupo de trabalho conjunto para se encontrar uma solução".

"Estamos muito satisfeitos mas ainda será necessário apreciar pormenorizadamente a nova legislação. Foram muitos anos a lutar por esta causa do policiamento, que ameaça seriamente o ciclismo amador, sendo óbvio que nos congratulamos com este progresso e não esquecemos quem contribuiu para a resolução do assunto.

Recorde-se que em 2004, na sequência de uma queixa da Associação de Ciclismo do Minho, o Provedor de Justiça recomendou ao Governo a alteração da legislação do policiamento de atividades desportivas, de forma a incluir o ciclismo no regime vigente do policiamento e da comparticipação do Estado nos encargos.

Em maio de 2010, o Ministério da Administração Interna, em resposta a um requerimento apresentado por deputados do CDS-PP, considerou o assunto "pertinente", assim como o Parlamento Europeu emitiu uma Resolução, no dia 8 de maio de 2008, relativa ao Livro Branco sobre o desporto, em que sublinha no artigo 86º “a necessidade de garantir que o Estado assuma os encargos com a segurança das competições não profissionais organizadas por entidades sem fins lucrativos”.

O próprio Instituto do Desporto de Portugal (IDP) - no âmbito das diligências da ACM - reconheceu a existência de um vazio legal que impede o ciclismo de aceder à compartição do Estado com os custos do policiamento de atividades desportivas realizadas na via pública (parecer nº 196/GJA/2009).

A par do alargamento ao ciclismo da comparticipação atribuída às restantes modalidades, a ACM reclama a "implementação de um regime específico" de "financiamento integral do policiamento de atividades desportivas federadas que envolvam as seleções nacionais ou realizadas no quadro dos campeonatos nacionais e regionais de escalões etários inferiores ao do escalão sénior", atento o facto de, “para além de outras especificidades, nas suas provas o policiamento não ser facultativo mas sim obrigatório”.

A REIVINDICAÇÃO

A legislação em vigor prevê a participação do Estado nos encargos com o policiamento de atividades desportivas realizadas no interior dos recintos desportivos, entendidos como “espaço criado exclusivamente para a prática do desporto, com carácter fixo e com estruturas de construção que lhe garantam essa afetação e funcionalidade, dotado de lugares permanentes e reservados a assistentes, sob controlo de entrada”. Essa participação nos encargos é feita através dos resultados da exploração dos jogos sociais.

Além de não existirem alternativas viáveis à realização de provas de ciclismo de estrada fora da via pública, o policiamento destas atividades é imprescindível, tanto por questões de segurança dos praticantes, como por questões de ordenação da circulação.

A requisição policial por parte dos organizadores de provas de ciclismo não é voluntária, ao contrário dos desportos praticados em “recintos desportivos” em que “a requisição da força policial é efetuada, sempre que considerada necessária, pelos organizadores dos espetáculos desportivos”.

Acresce que o policiamento de atividades desportivas realizadas na via pública apenas pode ser assegurada por entidades Estatais (GNR e PSP) - estando assim vedada a possibilidade de recurso a serviços de entidades privadas – e que o valor cobrado pela prestação do serviço de policiamento varia em função do critério de cada destacamento, nomeadamente quanto ao número de agentes, patente e meios a afetar;

Por discriminar o ciclismo e considerando as suas especificidades, é reivindicada uma alteração ao Decreto-Lei nº 238/92 que contemple o seguinte:

• Inclusão da modalidade ciclismo no regime de policiamento dos espetáculos desportivos e da comparticipação do Estado;

• Implementação de um regime específico para o ciclismo (atento o facto de, para além de outras especificidades, nas suas provas o policiamento não ser facultativo mas sim obrigatório) de financiamento integral do policiamento de atividades desportivas federadas que envolvam as seleções nacionais ou realizadas no quadro dos campeonatos nacionais e regionais de escalões etários inferiores ao do escalão sénior;

• Uniformização dos critérios da prestação dos serviços de policiamento pela PSP e pela GNR, no que concerne ao destacamento e à fixação do preço;



(fonte: Associação de Ciclismo do Minho)

segunda-feira, agosto 13, 2012

ANO VII - Etapa 46

MAS ISSO JÁ EU DISSE HÁ DOIS ANOS E MEIO...

(Em resposta ao comentário postado na 44.ª Etapa pelo Paulão. Que saudades já tinha de ti meu caro Paulo Sousa! Mas a verdade, nua e crua... e sofrida, é que, desde há muitos meses que eu já não sei, nem quantos, nem quais os 'amigos' que desertaram... incluindo aqueles em nome dos quais me expus totalmente, ao ponto de ter sido... completamente reduzido a cinzas.)

Pois, grande Paulo, em aditamento ao teu comentário, relembro...


Terça-feira, Fevereiro 09, 2010

ANO V - Etapa 28
DIVAGAÇÕES


(Antes de mais, os meus pedidos de desculpa aos leitores habituais do VeloLuso. Anunciei que estava de volta, pareceu que estava de volta mas... depois eclipsei-me outra vez. Os motivos são de foro muito pessoal...)

... também não advogo o 'enterrar a cabeça na areia' e fingir que nada se passas mas, se há quem pague o anunciado Congresso Internacional, mesmo que numa situação de estreita ligação com a FPC, porque é que não se aproveita - e o presidente da FPC até é vice-presidente do Comité Olímpico de Portugal e putativo sucessor de Vicente de Moura na sua presidência…

Publicada por em

Link para o artigo completo: http://veloluso.blogspot.pt/2010/02/ano-v-etapa-28.html

quinta-feira, agosto 09, 2012

ANO VII - Etapa 45

'QUO VADIS' JORNALISMO?

O inefável Sócrates não descansou enquanto não calou a Manuela Moura Guedes e, por outro lado, 'amansou' os 'jornalistas' do caso-Freeport, mesmo lá de longe, de Paris.
O inqualificado Relvas 'despediu' uma jornalista do Público...

E estes? Quem os manipula, comanda, domina?

Leio pungente 'entrevista' (porque não é assinada?) com o presidente da Assembleia-geral do Sporting Clube de Portugal...

«Esta minha primeira experiência no dirigismo desportivo não me trouxe muita felicidade. Isto sem emoção não se vai lá. Para já não me sinto aproveitado. Se dar apoio é estar calado não é brilhante. Se chegar à conclusão que devo recuperar a liberdade perdida...», sugeriu Eduardo Barroso, que não poupou críticas à forma como o clube está a ser gerido.

«Nem tudo correu bem até agora, os dois vice-presidentes que saíram, a forma como as coisas foram estruturadas e agora quero ver como isto vai correr nos primeiros dois meses do campeonato. O Sporting é um grande clube, não tem donos. É preciso explicar tudo às pessoas. A informação e transparência geram tranquilidade», prosseguiu.

De forma surpreendente afirmou: «Sá Pinto é uma pessoa que estimo e tem o meu total apoio. Em relação ao presidente da assembleia geral do Sporting [o próprio Eduardo Barroso] esperava que ele tivesse... não sei. Não tivesse nada. Continuem assim que estão muito bem.»

O dirigente mostrou-se «muito desiludido» com a transferência de Matías Fernandez para a Fiorentina.

«Se calhar, é um ato de gestão brilhante, se não me explicarem eu posso não achar que seja. É preciso explicar aos sócios», disse, sublinhando que, apesar de apoiar o presidente Godinho Lopes, só o futuro ajudará a clarificar posições.

A questão que deixo no ar, e a única que me preocupa, é porque raio o 'jornalista' - se é que houve jornalista metido nisto e não foi mais um daqueles 'recados a cobrar favores' - não foi capaz de acarear o dr. Eduardo Barroso com esta... 'sinistra' realidade: ele foi eleito - ainda por cima por uma lista que não a que elegeu a Direcção do clube - para ser presidente da Assembleia-geral.

O poder executivo, esse, vem em todas as sebentas, pertence à Direcção tão legitimamente eleita o quanto o foi o senhor presidente da Assembleia-geral.

Pergunta única: Acha-se o dr. Eduardo Barroso com direito de interferir, directamente, com a gestão do Órgão Executivo, que aceitou, tanto que aceitou tomar posse no todo que são os órgãos Sociais do Clube? E ao abrigo de que artigo, parágrafo e alínea dos Estatutos do Clube?

Porque é que o jornalista a não fez?

ANO VII - Etapa 44

... E AINDA NINGUÉM O DEMITIU?!!!




«Se queremos 10 ou 11 medalhas, há muitos atletas africanos que querem vir para a Europa»

Há quatro anos 'demitiu-se', ainda em Pequim, quando viu a coisa 'preta' e que o risco de voltar sem nenhuma medalha era bem real; depois a Vanessa Fernandes e o Nélson Évora subiram ao pódio e ele voltou atrás, aliás, passou a ser a figura que mais vezes aparecia nas reportagens televisivas [qual 'emplastro'].

Este ano começou... 'bem', afirmando que não esperassem grande coisa destes atletas - que serão as respectivas federações a escolher, mas escolha que, manda a lógica, terá que passar pelo 'crivo' do COP - e os pobres rapazes e raparigas lá demandaram Londres com o enorme peso sobre os ombros de saberem que o Velho não dava um 'chavo' por eles.

A mim fez-me soar uma campaínha nos ouvidos. O 'supremo comandante das nossas tropas' parecia estar a preparar-se [pelo menos 'cheirou' a aviso] para fugir com o cú à seringa. Em caso de 'catástrofe' (*), ele bem tinha avisado...

E passou uma semana e meia. E as coisas não correram realmente bem. E da figura... nem sombra. Nem mesmo quando uma luso-brasileira - que terá que ter contado com o 'amém' do COP para, de repente, ser 'portuguesa' tirando lugar a outra atleta... no espaço de dez dias ter ficado grávida de 12 semanas (!), ok, dormia todas as noites com o marido, mas parece-me que a Natureza não funciona assim... se ter 'esfumado'.
Foi o Chefe da delegação lusa a dar a cara.

Mas, héllas!, então não é que numa modalidade, daquelas que está na prateleira que... são para fazer número, conquista uma medalha de prata?

E quem é que surge logo em todas as fotos? Pois!

Mas como devia estar a aproveitar a estadia - paga por todos nós - em Londres para fazer as compras, e porque deixou os embrulhos nas lojas para chegar a tempo para as ditas cujas fotografias, como terá que ter voltado atrás para recolher os embrulhos, levou 24 horas a aproveitar todos aqueles microfones, gravadores, telemóveis que gravam, tiram fotos, filmam - e alguns deles até servem para fazer chamadas - para se auto-impôr como... principal figura da Delegação. Para quê? Para dizer aquela enormidade que está lá atrás.

O Povo trabalhador português paga couro e cabelo para, com os seus impostos, alimentar uma instituição decrépita, ultrapassada... caquética, verdadeira 'brigada do reumático' que, fico na dúvida, não sai de lá porque não quer ou porque não consegue levantar o cú da cadeira, mos leva [fonte: O Jogo] 4,3 milhões de €uros para subsidiar o atletismo; 2,4 milhões para a natação - por mais cem anos que eu viva, nenhum nadador português vai chegar a uma final nos Jogos Olímpicos-; 2,1 milhões no judo, e aqui creio que ninguém duvida que eram legítimas todas as esperanças, mas as coisas não correm como a gente quer, e 1,4 milhões para a canoagem (NÃO PARA O REMO!), para a canoagem.

O 'perdido' presidente do COP - já não sabe o que diz há muito tempo e só lá está porque estando lá 'dá de comer' a muito boa gentinha - medalhas conseguidas, enche o peito e dispara... baboseira. Aquilo que ficou lá atrás.

Africanos em fila para serem 'portugueses'...para onde?
Canoagem? Ténis-de-mesa? Judo? Triatlo? Hipismo - os brasileiros é que dizem Equestre e é uma completa baboseira nós, Portugueses, que lhe ensinámos, a eles, a língua de Camões e não a Jorge Amado [que sempre elevou a língua-mãe], agora escrevamos bobeira [também posso usar termos do Português da América do Sul, não?] -, Remo...


Voltando ao cerne da questão, para que queremos nós os africanos?

Eu percebi a mensagem. E é baixa, muito baixa. Só possível vinda de um homem que, pela idade que já tem, não sabe bem o que diz e por despeito. Que é criticável.

É que, na calha para o substituir na Calçada da Memória está Fernando Mota. Esta parte é só para os iniciados!... ;-)
...
(*) - Que fique claro que eu sempre confiei em TODOS os Atletas lusos, sabendo, de antemão, que uns poderia subir ao Olímpo e que outros não poderiam fazer mais do que dar tudo o que tinham para dar. Todos são credores da minha admiração, daí... o meu MUITO OBRIGADO A TODOS VOCÊS que nos representaram nesta edição das Olimpíadas.

segunda-feira, agosto 06, 2012

ANO VII - Etapa 43

BOA AVENTURA, FILOMENA E RICARDO QUE TUDO CORRA VOS BEM




Cliquem na imagem para a ver melhor

quarta-feira, agosto 01, 2012

Pois é!...

... MAS HÁ SEMPRE UNS MAIS IGUAIS DO QUE OUTROS!

Anda meio-Mundo, com quase a totalidade da outra metade atrás, 'babado' com o feito do estadunidense Michael Phelps. Ok, 19 medalhas olímpicas em oito anos e três participações olímpicas é obra, e hoje mesmo houve quem recordasse que, em 100 anos de Jogos, Portugal soma... 22. Mas a mim chateia-me uma coisa: há uma jovem chinesa que ontem, e num espaço de dois dias venceu duas medalhas de ouro e [parece que] toda a gente já a vê com 'olhos em bico' e... nariz torcido, não dizendo mas insinuando... estranheza. Pois é!...

Ah, revelação 'empolgante' mas um tudo nada naïf: «Para chegar ao 15.º ouro olímpico [Phelps] dormiu um ano como se vivesse a mais de 2440 metros [de altitude]»

A malta do Ciclismo sabe perfeitamente o que isso quer dizer. É ilegal? Não. Mas, e não há notícia disso, se todos os seus adversários tivessem tido a mesma possibilidade... Pois é!
Pelo menos muito pouco... olímpico, não acham?

[São estes 'escrutinadores' que andam mortinhos para entalarem Lance Armstrong!]

Ora Bem!...

AFINAL NÃO ESTOU SOZINHO!

Levou algum tempo mas, finalmente, hoje lá vi um comentário que sustenta o meu próprio e que antecede esta entrada.

O dr. Bagão Félix viu - e sentiu - exactamente o mesmo que eu.

sábado, julho 28, 2012

MAUrinhozinho

ARROGÂNCIA, OU HIPER AUTO-ESTIMAÇÃO...
É UMA COISA! FALTA DE RESPEITO E MÁ EDUCAÇÃO, OUTRA

E olhem para mim a 'aventurar-me' na chafurdeira que é o futebol.

Não vou ficar muito tempo que o estômago está doente e as náuseas frequentes.

A... 'Eusébio Cup' - à falta de dominarem a língua portuguesa, as 'cup's' estão a ser um must, principalmente este ano - foi criada para homegear o Grande Eusébio que é tão grande que, como vou lendo, até jovens, de toda a parte do Mundo, cujos pais ainda nem eram nascidos quando ele derramava talento pelos relvados dessa Europa fora (e não só) o admiram; esperam por ele em qualquer lugar onde ele vá e fazem fila para conseguirem um autógravo e, oh! glória das glórias, uma foto a seu lado.

Pelo quinto ano consecutivo o Benfica convidou uma equipa de renome internacional para a discutir - à 'cup' - opondo-a à sua melhor equipa no momento. Nem sempre pode ser mesmo, mesmo a melhor...

Em 2008 perdeu a partida (0-0, 4-5 nos penalties) frente aos italiano da Internazionale de Milano (Itália);
em 2009 venceu, da mesma maneira e com números exactamente iguais, os também italianos do AC Milan;
em 2010 terá convidado o menos forte - e de menor historial - dos cinco adversários já defrontados, os londrinos do Tottenham. Perdeu por 1-0;
o ano passado, o oponente veio, outra vez, de Londres. Foi o Arsenal. O troféu ficou em casa após vitória benfiquista por 2-1.

Este ano, com a melhor das intensões - e porque era um velho sonho do 'velho' Eusébio e todos sabiam disso - o convite foi dirigido a uma equipa do Bairro de Chamartin, no coração de Madrid.

E, porque há, há sim, pormenores que definem uma pessoa e que ficam mais expostos quando a figura julga que ninguém está a olhar, ele, que jamais admitiu que houvesse alguém que, dentro do 'seu' grupo de trabalho mandasse mais do que ele (ok, deixa passar a imagem de que 'só obedece' ao presidente, mas faz deste uma caricatura da 'raínha de Inglaterra'), esse mesmo, deixou as 'prima donas' ter... mais um dia de descanso. E perdeu... de goleada!

«Acima de mim... o Sol! Eusébio? Quem é?»
(Honestamente, depois das declarações finais espero que tenha, pelo menos, tido a sereedade de se ter 'esquecido' do troféu que o Benfica lhe ofereceu, na cabina!)

Ainda assim, 'sardinha' ou 'choco' há uma coisa que lhe quero agradecer:

Como 'fanático' adepto e simpatizante, tanto do VALADARES, como do AT. CACÉM faço minhas as suas palavras:

«NOS TREINOS NÃO HÁ DERROTAS PESADAS!»

Já agora, que o Benfica não volte a convidar o 'Grupo de Excursionistas de Chamartin', nem qualquer outra equipa treinada pelo tradutor de Sir Bobby Robson. Nem que seja em memória deste. Esse sim, um Gentleman...

quarta-feira, julho 11, 2012

ANO VII - Etapa 42

ADENSA-SE O MISTÉRIO!...

Porque é que estamos a dar maior destaque à Volta à Polónia, e ao 13.º lugar do Tiago Machado [nada contra o Tiago, antes pelo contrário] do que à VOLTA A FRANÇA... o TOUR, a terceira maior manifestação desportiva em termos globais onde, por acaso, o Rui Costa resiste e manteve o 11.º posto na geral ???!!!!!!!

Embora já reduzida a simples 'chamada' - mas com a foto do Tiago - a Volta à Polónia continua, por esta hora, na 1.ª Página da edição on-line...

Já a foto (eu sei que é má) que reproduzo tive que ir 'cavá-la' à sub-secção do 'Mais Desporto'. Mas, lá está o Tiago em destaque... Quanto ao TOUR... é o que vêem aqui.



Um verdadeiro mistério!

ANO VII - Etapa 41

TROFÉU INTERNACIONAL JOAQUIM AGOSTINHO



(gentileza da Equipa Efapel-Glassdrive

a Organização deve ter perdido o meu

contacto de sempre!...)





ANO VII - Etapa 40

CICLISMO vs FUTEBOL
OU OS INCONFESSÁVEIS INTERESSES DOS 'JORNALISTAS'

No dia 10 de Julho de 2011, passou ontem um ano, numa etapa do Tour, uma viatura com ‘convidados’ da televisão francesa ‘viajava’ pelo interior do pelotão aproveitando o facto de haver um pequeno grupo de fugitivos. O que está previsto e é aceite pelos Regulamentos. Às viaturas ‘oficiais’, como as dos ‘convidados’, que não aos jornalistas!

A estrada não era larga e as bermas inexistentes – quem segue o Giro, o Tour e a Vuelta sabe que é assim; só em Portugal quase se exige que as etapas decorram todas nos IP, SCUTS (agora é mais difícil) e não nas Auto-estradas porque é, definitivamente, proíbido! -, o motorista distraíu-se por um segundo e quando olhou em frente tinha um tronco de árvore para aí com 80 centímetros a um metro de diâmetro pela frente. Guinou, instintivamente, para a sua direita não dando conta que, a escassos centímetros rolavam, alheios às vistas panorâmicas e às conversas de circunstância, três Corredores: Thomas Voeckler, Juan António Flecha e John Hoogerland.

O primeiro, passou, apenas com o susto; o segundo deixou parte do equipamento – e da sua própria pele – no rugoso asfalto de uma estrada de 3.ª categoria, perdida num meio rural profundo.

John Hoogerland que, para além do impacto do carro, ainda levou, por arrastamento, com Flecha em cima, foi… de ‘costa-a-costa’, isto é, até à outra berma – não existente – ostensivamente limitada (acontece, nas propriedades privadas, possivelmente pastagem para gado que não convém que invada a estradada) por uma cerca de… arame farpado.


O pobre até poderia ter batido de lado contra as ‘farpas’, mas não, esbarrou num poste de suporte da vedação e ‘escorregou’ por ali abaixo. Como podem ver, ‘não falhou’ uma das farpas sequer.
Resultado… o que a foto mostra.


Ao que acrescento mais de cem pontos de sutura que foi necessário levar para coser aqueles rasgões todos.


Ah!... No dia seguinte apresentou-se, todo ‘agrafado’ e ligado, mas apresentou-se à partida.
Imaginem como terá passado a noite.

Terá dormido?
Sentado?...
Não sobraram histórias sobre isso para a qui recordar.


A foto, juro, e peço desculpa ao Jornal Ciclismo por a ter ‘piratado’ (também não é deles e não atribuem o crédito…) não é um sádico exercício de manipulação no ‘photoshop’… É mesmo real!
E sabem uma coisa?

Quando vejo um futebolista [ohhhhhhhh, eu sei que estou a pisar terrenos ‘sagrados’ e basta olhar para os jornais ‘desportivos’…] rebolar-se no chão agarrado à perna direita quando o – eventual (que na maioria das vezes não vislumbro nem na repetição, três segundos depois – ‘toque’ só poderia ter sido na esquerda, e berra que nem um bezerro que não sabe da vaca-mãe e obriga à entrada dos bombeiros com maca, para a qual sobe sem ajuda e da qual salta ainda antes de ter saído das quatro linhas, ficando depois a verberar com o 4.º árbitro porque não o deixa entrar de imediato…
Quando vejo isto, e no dia seguinte não leio nesses mesmos jornais – que são os três – a, mais que descarada… desonesta atitude do ‘artista’ que os ‘jornalistas’ e ‘comentadores’ respaldam… apetece-me esfregar-lhes esta foto nos narizes.


Mais, gostava mesmo era de lhes esfregar as ligaduras que este pobre usou até ao fim. Depois de retiradas, claro.

Vemos, em filmes históricos – e aceitamos, porque não sabemos se era mesmo assim – que os reis, na Idade Média, tinham ‘bobos’ para fazerem palhaçadas e os entreter. E davam-lhe qualquer coisinha em troca.
Hoje, no futebol, são os ‘bobos’ quem, de bandeja, dão de comer aos ‘reizinhos’. Encobrindo as suas trafulhices, fechando os olhos e, pior, ‘garantindo’ que aconteceu uma coisa que MEIO MUNDO TEVE OPORTUNIDADE DE VER QUE NÃO ACONTECEU…

Tenho pena dos dois.

Nem um, nem o outro, são bons oficiais nos respectivos ofícios. Pior... são desonestos!

terça-feira, julho 10, 2012

ANO VII - Etapa 39

EXPLIQUEM-ME COMO SE EU TIVESSE... 3 ANOS DE IDADE!


Porque é que esta edição do Tour tem estado a ser tão maltratada na edição on-line, nomeadamente negando-lhe espaço alargado - no sentido de lá se manter a notícia até ao final do dia - mas, sobretudo, quase ignorando o brilhante percurso do poveiro RUI COSTA até agora?


Mesmo no jornal em papel. Por exemplo, o texto principal hoje é dedicado, e cito: ao «Coleccionador de scooters...» ficando para o MELHOR CORREDOR PORTUGUÊS DA ACTUALIDADE um 'pirilau' ao lado?


Ontem o RUI COSTA fez, aquando da sua passagem pelos pontos intermédios de cronometragem (dois) o 6.º melhor tempo - claro que vinham ainda onze corredores atrás dele - e terminou com o 14.º melhor tempo na etapa subindo para 11.º na Geral Individual. Nada disto foi frisado.


Porquê? Que mal fez o RUI COSTA?

.

.

E porque é que hoje, numa prova menor - e menor que a Volta à Suíça que ele ganhou oito dias antes do Tour e teve uma cobertura merdosa - há 'horas' que isto está na página nobre da edição on-line?



(Há 2.10 que lá está, o que NUNCA ACONTECEU com o Rui Costa, no Tour, muito menos na Volta à Suíça)
.


Não há muitos meses ainda alguém... grande, escreveu que há quase 30 anos as reportagens do Tour deixaram de ter interesse. Respondi-lhe pessoalmente, por email, considerando essa afirmação uma afronta e uma incomensurável falta de respeito por todos os Jornalistas da casa que o fizeram depois dessa data. Posso divulgar o email publicamente! Por mim...


Alguém pode responder a estas simples perguntas?

segunda-feira, julho 09, 2012

ANO VII - Etapa 38

ASSINO POR BAIXO...


30 de Junho de 2012, por LEONOR PINHÃO, Jornalista... no


No ciclismo não há penaltis



Enquanto decorria o Europeu de futebol, entre a vitória de Portugal sobre a Holanda e a vitória de Portugal sobre a República Checa, aconteceu que um outro compatriota nosso, um rapaz franzino chamado Rui Costa, ciclista profissional, ganhou a Volta à Suíça que não é brincadeira nenhuma. O feito consagra-o como o primeiro português a vencer uma prova do World Tour, coisa que nem o fabuloso Joaquim Agostinho atingiu.

Em Portugal ninguém ligou peva à proeza de Rui Costa porque as atenções estavam a mil por cento concentradas na campanha da selecção nacional de futebol. E como é do conhecimento geral, bicicletas são apenas bicicletas e o desporto-rei é o desporto-rei. A aventura portuguesa no Europeu acabou na quarta-feira de maneira dramática e, como não podia deixar de ser, com direito a requerimento em papel azul de 25 linhas, aquele mesmo dos antigos procedimentos burocráticos, em favor da nossa velha conhecida Vitória Moral, que é o consolo possível e recorrente quando estas nossas andanças desportivas ao mais alto nível não terminam como era desejado.


Agora que o futebol acabou em desilusão, espelhando as frustrações da pátria que são muitas e de natureza variada, temos, finalmente, tempo para nos dedicarmos às bicicletas. O país precisa de heróis por causa da auto-estima, dizem os sociólogos, quer os amadores quer os profissionais, e está a chegar a Volta à França que conta no seu pelotão com o tal portuguesinho franzino chamado Rui Costa.


No ciclismo, felizmente, não há penaltis. Mas Rui Costa bem pode começar a pedalar tendo por certo que os olhos da nação estão postos nele. Atreva-se ele a ganhar uma etapa do Tour, como fez no ano passado, e logo teremos o país em peso a pedir-lhe, encarecidamente, que vá mais longe, que chegue em primeiro, que não caia da máquina, que desfaça a concorrência nas subidas dos Alpes e que nos devolva o orgulho perdido no momento em que Bruno Alves acertou com a bola em cheio na trave da baliza guardada por Casillas.


Rui Costa, à partida para França, estabeleceu com modéstia os seus objectivos: "Gostava de chegar bem a Paris."


Não aborreçam, portanto, o rapaz com exigências mirabolantes.
Estivessem todos mais atentos à Volta à Suíça
.


O sublinhado é da minha responsabilidade

segunda-feira, junho 25, 2012

ANO VII - Etapa 37

.
Fiquem atentos... 6.ª feira vai haver novidades!

ANO VII - Etapa 36

VOLTA A PORTUGAL'2012




ANO VII - Etapa 35

TODA A SORTE DO MUNDO PARA TI RUI...





(Equipa da Movistar para o Tour'2012)

quinta-feira, maio 03, 2012

ATÉ JÁ!...

.
Hoje passei o dia ali, para o Alto de Santo Amaro, em Lisboa, a fazer uma interminável bateria de novos testes... o tratamento em Santa Maria foi adiado até que surjam resultados destes testes e eu... espero.
Já sem stress, sem ângústia. Há-de ser o que... vier a ser.

Ok, amigos - e os outros também - vou ficar uns dias 'off-line'.
É preciso...
Soubesse eu o resultado final e acabava já com isto, mas vou esperar.

Para vos entreter, porque sei que adoram ler-me, deixo aqui os links para as duas últimas coisas que escrevi... salvo seja! Porque ainda penso tirar alguns 'escalpes'!

Fiquem bem e, isso não vos perdoaria jamais, não tenham pena de mim.



Já agora... cliquem aqui (são dois 'posts' diferentes!)



(**) (**)

quarta-feira, maio 02, 2012

ANO VII - Etapa 34

ATÉ SEMPRE GONÇALO!
TAMBÉM CONTIGO MORRI EU MAIS UM POUCO...


Porquê, Gonçalo? Porquê tu?

Ao longo de tantos anos, e todos perceberão isso, fazemos muitos Amigos mas, há sempre uns mais amigos que outros; as nossas Amizades, mesmo as mais sinceras, são sempre radiais e concêntricas. Um pequeno grupo mais próximo, depois outro, exterior a este, depois outro... e assim por diante até a última circunferência que, sem limite definido, alberga os conhecidos mas onde também moram amigos. A nossa relação nunca terá chegado a ser tão forte assim...

O Gonçalo esteve sempre naquele círculo mais pequeno, mais próximo; o dos Amigos-amigos, quase incondicionais... e por lá o guardei sempre, apesar do distanciamento físico que, pelo motivo que todos conhecem, começou a 'cavar-se' desde há quatro anos, mais coisa, menos coisa.

E estes Amigos-amigos-mesmo acabavam, por arrasto, trazer-me mais amigos. Familiares seus, por exemplo. O pai do Gonçalo, o sr. Júlio - passaram já tantos anos sem... notícias mas quero querer que ele ainda aí esteja - com quem, aqui, agora, partilho um forte abraço de solidariedade, nesta hora que é de dor para todos.



Ao Gonçalo - um Homem Bom, um profissional exemplar, um Amigo que levarei comigo, no meu coração - recordarei para sempre assim, como nesta foto que escolhi para pôr aqui. Alguém que assumia sempre as suas responsabilidades dentro dos vários grupos que representou e que não deixava para os outros aquilo que achava ser o seu dever: dar a cara ao vento... e levava aquele sorriso!. Foi sempre um líder e é assim que te recordarei.



Descansa em Paz Amigo.

quarta-feira, abril 25, 2012

EXTRA

ANO VII - Etapa 33

SE ATÉ ESTE O DIZ!...

Trinta e oito anos depois da nossa emblemártica 'Revolução dos Cravos' nos ter devolvido a Liberdade de decidir e de Pensar pela nossa própria cabeça - o mal é que se passaram mais de 30 anos até percebermos que não foram suficientes para muitos (e ainda há alguns, que eu posso apontar a dedo), que o não perceberam... o Dia de Hoje está tão distante daquilo em que, por breves meses acreditámos, que ainda ontem, dia 24, li no insuspeito 'Correio da Manhã? - página 26, em roda-tecto, mais ou menos 'escondido' - que o, hoje, general Pires Veloso, uma das principais figuras do contra-golpe de 25 de Novembro de 1995, na altura ainda coronel e chamado... e reconhecido como o 'Rei do Norte', líder assumido na luta contra os radicais [nessa altura, a palavra ainda não tinha sido inventada] obedientes a Otelo Saraiva de Carvalho.

Ora, há aqui umas semanas - não sou capaz de precisar, agora, mas fazendo as contas, mais de quatro passam a ser um mês, mais de oito... meses - Otelo defendeu publicamente que é precisa uma nova Revolução! Todos estão lembrados, não vou aqui repetir as suas palavras...

A sociedade portuguesa dividiu-se.
Chegou a correr no espaço net uma petição para levar, de novo, o Otelo à presença da justiça. A mesma que se esfalfa para livrar o Sócrates da prisão? Provavelmente.
Mas, ao mesmo tempo, houve quem lhe desse razão.

Estou a falar de Otelo Saraiva de Carvalho.
Primeiro, ídolo de TODOS. Incontestado e inconstestável logo após os acontecimentos que hoje deveríamos estar a comemorar;
depois, quando os políticos, como o inefável Mário Soares - a mais perversa figura da nossa História contemporânea - ou o esfingico Álvaro Cunhal (mil vezes mais inteligente e clarividente do que o 'bochechas', pelo que «o perigo de Portugal tornar-se a 'Cuba' da Europa» nunca lhe passou pela cabeça), ou ainda Francisco de Sá Carneiro - eu sei reconhecer o mérito a quem, honestamente 'se dá', mesmo sem concordar com as suas ideias, e ele não morreu por acaso...

Mas voltemos um pouco atrás, para concluir.
Na sua edição de ontem, o 'Correio da Manhã' - mesmo que discretamente - deu voz ao general Pires Veloso, um dos principais 'culpados' - mesmo a esta distância temporal não faço juízo de valores - pela queda em desgraça do Otelo.

E o que diz Pires Veloso?
Isto:



(cliquem na imagem para poder ler)

terça-feira, abril 24, 2012

ANO VII - Etapa 32

É PRECISO ACREDITAR!...

Pobres coitados dos que não imaginam sequer do que estou a falar...
Numa situação normal... teria pena de vó. Agora só consigo ter aquela 'raiva que se sente nos dentes'...

Não fizeram nada para justificar os riscos assumidos por poucos, que, mesmo sendo poucos, eram TODO UM POVO.

Todos vocês, e falo dos que têm menos de 35 anos, 'mamaram' na 'teta' de uma LIBERDADE recém conquistada.... Depois, a maioria, fincou-lhe o dente. Os 'filhos da Revolução' nada sabem dela... abominam-na, a maioria. Deviam ter a minha idade, ou mais cinco ou seis anos...

Há 38 anos, por esta hora, ultimavam-se os derradeiros preparativos para soprar para longe o cizentismo em que os vossos pais viviam. Ou escravos dos senhores da terra, no interior do País, ou, na mesma escravos, das cinco ou seis famílias que 'davam um melhor emprego', na Cintura Industrial de Lisboa, até pagavam melhores - muito melhores - ordenados, que depois 'recuperavam' de imediato numa súbita e liberalista 'politica' de oferecer [é uma maneira d dizer, claro] andares, imaginem, andares novinhos em folha - aos que ganhavam mais - isto enquanto avalanches de imigrantes deixavam o interior e vinha para os arredores de Lisboa, para os mesmíssimos 'bidonvilles' - famosos nos suburbios de Paris, e das grandes cidades alemãs, onde o portuga, anafalbeto, trabalhava 14 horas por dia pago a preço de escravo, ainda assim, MUITO MELHOR que no Barreiro, na Amadora, em Cabo Ruivo ou nos terminais de contentores do Poço do Bispo ou de Alcântara.

SIMMMMM... a 'cinco tostões' [vocês não sabem o que é...] reconstruiram a mesma França e e a mesma Alemanha que agora nos atiram para a valeta e, os mais 'corajosos', ainda nos dão uns valentes pontapés.

Há 38 anos, por esta hora, um grupo de miúdos - que não vampirizaram os pais para irem para a Faculdade, mesmo não tendo outro objectivo que não fosse o de se embebedarem no Bairro Alto, nas Docas ou na 24 de Julho (só para falar em Lisboa), de sexta a domingo, e, depois, 'comas alcoolócos à parte, ficarem a curtir a bezana de segunda sexta, só indo ao 'campus',- melhor, à cantina, porque a comida é paga pelo contribuite - dizia, há 38 anos, por esta hora, miúdos, muitos deles que só calçaram, pela primeira vez, sapatos na tropa, vieram por aí abaixo para fazer uma 'revolução', léxito que para eles também era totalmente desconhecido.


A eles, a todos eles, o meu eterno agradecimento, mesmo que hoje nos encontremos como estamos e alguns deles estejam do outro lado.

Post Scriptum
Eu sei perfeitamente que não foi na noite de 23 para 24 de Abril de 1974 que as coisas aconteceram!
Não me tomem por tolo.

Mas tinha que dividir este tema em duas partes.

Não, não sou do partido do '25 de Abril Sempre'!
Não tenho deus, não tenho partido, não tenho dono...
mas...

SEMPRE COM O 25 DE ABRIL.  

ANO VII - Etapa 31

SIMPÁTICO EM DE TODO INESPERADO (ATÉ PARA MIM)!...


terça-feira, abril 03, 2012

ANO VII - Etapa 30

ATÉ SEMPRE, EZEQUIEL!...
Senhor Ezequiel!

Meu Caro Amigo,
escrevo-lhe esta Carta com a maior das dores dor por saber que já não vou a tempo que o meu Amigo a lei-a.
A Vida é assim. Dizem!
A Vida...

'Sacudido' pela mensagem que me chegou ao telemóvel paralizei.
A Vida... é assim! Num instante vai-se sem que alguém [ou alguma coisa, na qual, peço-lhe desculpa, não acredito] nos pergunte se queremos, ou estamos preparados. E é sempre a mesma questão que me atormenta: Porque é que os Bons terão de partir primeiro?!

Sei que na sua imensa e desconcertante humildade se bateria na defesa de que não era melhor do que ninguém. Isso sempre fez de si um Homem diferente e, indissossiável disso, um Homem querido por toda a gente. E como não?

Conhecemo-nos há mais de 20 anos, a nossa amizade foi-se cimentando e, como sempre foi desinteressada, era genuína. O Ezequiel, aliás, não era Homem para ter amigos a 'fingir'. Eu sei disso. E lembro-me das muitas e longas conversas que tivemos. Segredos que guardarei em nome dessa amizade.

Calcorreámos milhares de quilómetros por essas estradas fora. Desde o 1.º Grande Prémio 'A Capital', em 1991, até... que interessa? Não será a morte física que nos separará. Quando muito, e porque não acredito em mais nada, até que eu me vá igualmente. Até lá, como se diz, "ninguém morre enquanto houver quem o recorde" a isso, meu Caríssimo Ezequiel, estou irredutivelmente comprometido. O Ezequiel há muito que faz parte do restrito grupo de Amigos - que foi minguando, confesso-o - que escusa de "fingir" que já cá não está. Claro que está! E estará sempre enquanto eu o recordar.
.
.
Como recordo aquele jantar - num GP Correio da Manhã - no Rossio ao Sul do Tejo (Abrantes)...
Como recordo aquela etapa de uma Volta ao Alentejo que fiz a seu lado, no Carro Vassoura, desde Valência de Alcântara, em Espanha, ao Alto da Pena, em Castelo de Vide onde chegámos quase duas horas depois do vencedor da etapa. (E aqueles moços espanhóis que não andavam!... E o almoço de sandes compradas à beira da estrada!)

E as Voltas a Portugal? Das 15 que eu fiz só me lembro de uma que o Ezequiel faltou. A 'máquina' pregou-lhe uma peça, mas logo, logo voltou para junto da Grande Família.

Do desgosto que sempre calou por ser preterido no Troféu Joaquim Agostinho àquela 'confissão' por alturas da passagem - muito especial, porque não está aberta ao trânsito comum - pelo paredão da luso-espanhola barragem de Cedillo [Volta ao Alentejo]...

«Sabes Manel quanto venho ganhar este ano? Pois digo-te: o dobro do que ganhei o ano passado; ora, se o ano passado não vim ganhar nada... faz tu as contas. Mas não estou a queixar-me. Eu até nem cobro o combustível que gasto. Arrangem-me uma caminha para dormir, almoçar não posso... venho pelo jantar, para estar juntos dos amigos.»

.
Conheci largas dezenas de pessoas - estiquemos até às centenas - durante os 15 anos que andei na estrada. Nenhuma como o Joaquim Ezequiel.

Há anos que a saúde - a falta dela - ameaçava que, mais dia, menos dia, mais ano, menos ano, a morte no-lo havia de roubar, mas ele foi resistindo e ensinando-nos a resistir. Com a bonomia e com um espírito de juventude interior - que nada tem a ver com a idade - que muitos, com um terço da idade dele jamais saberão demonstrar, soube ser feliz.

Há já alguns anos - 'mea culpa' - que não falávamos.
Desde que que fui 'cuspido' do Ciclismo por egozinhos medíocres, que nunca deixaram de o ser... mesmo vendo a sua vontade cumprida.
Não chegou para que a minha Amizade pelo Senhor Ezequiel fosse 'mordiscada'.

Nem mesmo depois, quando egos ainda maiores tudo fizeram para me manter afastado da Minha Família [mas falharam redundamente na sua OBRIGAÇÃO de dar esta notícia].

Família que, para que conste, não era, nunca foi, a dos doutores mas as dos Homens simples.
Como o Joaquim Ezequiel.

Amigo, não choro a sua partida porque sei que prefere assim.
Agarro-me à sua memória.
À memória de uma Família que já não existe - pelo menos por cá - e espero que... esperem por mim. Onde quer que estejam!

Até breve e um Abraço apertado.

ANO VII - Etapa 29



ANO VII - Etapa 28



terça-feira, março 13, 2012

ANO VII - Etapa 27

ORA ENTÃO, DEIXA CÁ VER...

A Efapel-Glassdrive, equipa comandada por Carlos Pereira, convida-nos para na próxima quinta-feira, dia dia 15, aparecermos por Gaia para testemunharmos a contratação de um novo reforço, nome conhecido, com provas dadas e com o qual a equipa vai tentar vencer a Volta a Portugal.

Devo avisar que nem nas 'raspadinhas' tenho sorte mas... deixem-me apostar:

É galego; o seu nome começa por D...; e já ganhou quatro Voltas a Portugal!
Acertei? Fico contente por me sair 'blanco'. :-)

Boa sorte e muitos êxitos.

segunda-feira, março 12, 2012

ANO VII - Etapa 26






São estes os percursos das quatro etapas da 30.ª Volta ao Alentejo em Bicicleta.

domingo, março 11, 2012

ANO VII - Etapa 25

A 30.ª EDIÇÃO DA 'ALENTEJANA'
ESTÁ PRONTA PARA IR PARA A ESTRADA

Foi o escritor estadunidense Mark Twain que, deparando-se com a notícia da sua morte, e os 'pormenores' da cerimónia fúnebre subsequente, num jornal local, escreveu ao director do dito jornal, mais ou menos isto (cito de memória):

«Agradeço a deferência e os elogios, gostei muito da forma como foi redigida mas... a notícia da minha morte estava um tudinho nada exagerada!»

Parece humor Alentejano!

Apressada e quase podendo sentir-se o gáudio com que foi escrita, a "morte" da Volta ao Alentejo foi-nos, obviamente de forma um nadinha exagerada, "anunciada" há alguns meses, aquando da revelação, em primeira mão [a FPC, justiça lhe seja feita, sabe pagar os 'favores' e, por isso era o único - mesmo que à custa da subtracção de um corredor na Selecção Nacional], o escriba presente no local (os Mundiais de Estrada) onde o Calendário é apresentado, emotivo, 'garantia':

«A Volta ao Alentejo desaparece do Calendário Nacional.»
Uma vez mais, cito de memória, podem não ter sido estas as palavras.

E, sempre recorrendo à minha memória, logo eu escrevi uma Etapa, aqui, no VeloLuso, oferecendo-me para, se fosse preciso sair de porta em porta a pedir dinheiro para que a NOSSA CORRIDA (não de todos e isso é óbvio desde há já alguns anos, mas de uma, ainda maioria) não desaparecesse assim.

Poucos minutos depois de a mensagem ter sido editada, o Teixeira Correia respondeu-me dizendo que a Volta ao Alentejo «não ia acabar».
Poucas horas depois, por telefone, o Joaquim Gomes garantia-me que, independentemente dos custos, a 'Alentejana' estaria na estrada, só não sabia - na altura, ainda como o fazer; mas garantiu-mo.
Dois grandes amigos meus.

Mas é evidente que não foi por mim que, cada um à sua maneira, e devo aqui acrescentar o Eng. Alfredo Barroso e todos os outros que se empenharam a fundo na manutenção da nossa corrida na estrada, que se deram a esse trabalho.
Foi porque reconhecem o quão importante é manter a 'Alentejana' na estrada.
Agradeço a todos.

Pois é.
A 'Alentejana' NÃO MORREU.
Não morrerá apesar do desinteresse de muitos, a indiferença e outros tantos e do ressabiamento de três ou quatro que nem conseguem esconder o quanto vibrariam com, já nem digo a 'morte', mas com uma interrupção da corrida, nem que fosse só por uma temporada.

São uns frustrados. Interiorizaram - sem razão válida - que sem eles a Volta ao Alentejo não sobreviria. Inventaram que, só graças a eles a Corrida cresceu, se internacionalizou, trouxe até nós algumas das maiores figuras do Ciclismo Mundial, àquela data, e estão mesmo convencidos que foram eles quem o conseguiu.

Numa primeira fase da prova, mesmo que isso não tenha sido real, como eram, mais ou menos - era assim naquela altura - figuras reconhecidas pelo público, quiseram disso tirar dividendos. Até que um dia, mais ou menos amadora, com mais ou menos falhas, a Volta ao Alentejo encontrou uma direcção - encabeçada pelo eng. Alfredo Barroso, e o Armando Oliveira e mais quatro ou cinco - e tiveram a coragem de traçar um risco no chão e dizer:
«Daqui não passas!»
A partir daí foi só fel o que debitou.

A propósito, e confesso desde já a minha ignorância, onde fica a Serra de São João, no Alentejo? Sim, essa que, tal como a Serra de São Mamede, ficaram ignobilmente de fora do traçado desta edição da 'Alentejana'. Eu li-o e publico-o aqui se for preciso.

Começar uma prova de quatro dias a subir São Mamede? Com estas equipinhas que temos?
Não... inverter a ordem das etapas...
ELE é que sabe.
ELE é que é Jeová destas coisas do Ciclismo.



MAS VAMOS À 30.ª EDIÇÃO DA VOLTA AO ALENTEJO...


Assim, temos...

1.ª etapa - 5.ª feira, 22 de Março


CASTELO DE VIDE-REDONDO, 165,8 km


artida: 11.30 horas - Chegada prevista: 15.30 horas


Metas Volantes

Fronteira (km 55,7 /passagem cerca das 12.50 h)

Redondo * (km 110,7 / 14.10 h)

Bencatel (km 124,8 /14.30 h)

(*) - primeira passagem pela meta

Montanha

Serra d'Ossa.1 (3.ª Cat./km 99 / 13.55h)

Serra d'Ossa.2 (3.ª / km 154,2 / 15.15 h)




2.ª etapa - 6.ª feira, 23 de Março

PORTEL-SANTIAGO DO CACÉM, 191,3 km

Partida: 11.15 horas - Chegada prevista: 16.05 horas

Metas Volantes

Viana do Alentejo (km 27,3 / 12.10 h)

Alcácer do Sal (km 78,9 /13.25 h)

Deixa-o-Resto (km 143,4 / 14.55 h)

Montanha

Santiago do Cacém (3.ª / km 153,2 / 15.10 h)


3.ª etapa - Sábado, 24 de Março

ODEMIRA-OURIQUE, 168,6 km

Partida: 11.20 horas - Chegada prevista: 15.30 horas

Metas Volantes

Sonega (km 31,5 / 12.15 h)

Sines (km 59,2 / 12.55 h)

Castro Verde (km 152,3 / 15.10)




4.ª etapa - Domingo, 25 de Março

MÉRTOLA-GRÂNDOLA, 151 km

Partida: 11.20 horas - Chegada prevista: 15.00 horas

Metas Volantes

Santa Vitória (km 57,7 / 12.55 h)

Canhestros (km 87,7 / 13.35 h)

Grândola * (km 123,7 /14.30 h)

(*) - primeira passagem pela meta

Montanha

Serra de Grândola (3.ª / km 132,7 /14,45 h)