quinta-feira, junho 16, 2011

ANO VI - Etapa 50

E QUE TAL UMA AUTORIDADE
PARA CERTIFICAR AS CORRIDAS?

Já tivemos, este ano, uma morte na estrada e, por sorte foi só uma, que o traçado do Giro'11 roçou o 'assassino'. Na mesma Itália onde a Lei persegue caninamente os Corredores que tiveram 'azar' de ser apanhados com positivos... com laivos de sadoquismo. Castigam-os, deixam-os tentar recomeçar a sua vida e, mal eles se apresentam preparados para - dê-mo-lhes o benefício da dúvida - voltar, provavelmente com a 'lição aprendida' o inefável CONI pula para o palco - que não é dele - e 'carrega' a pena.

Se se tratasse de uma tomada de posição HONESTA, e então seria ineqívoca, irradiavam, pura e simplesmente o infractor.

Não conheço a Lei italiana. Desconfio que tal decisão não seja exequível por isso, entre autoridade anti-dopagem e CONI vão brincando com a vida de pessoas que, como todas as pessoas, podem errar a qualquer momento das suas vidas.

Também não sei se acontece só com o Ciclismo ou se com atletas de outras modalidades. Mas que o Ciclismo sai, indubitavelmente, prejudicado em relação a todas as demais, disso - creio - já ninguém tem dúvidas.

E podemos até ficar pelos exemplos domésticos...

Mas voltemos ao início...
A edição deste ano do Giro foi exemplar... no pior dos sentidos.
Pôr Corredores de Estrada a cumprir etapas com largos troços de terra batida?
Que virá a seguir?
Atravessar vales ou rios sobre pranchas de madeira com dois palmos de largura?
Obrigá-los a fazer duas dezenas de quilómetros só com a roda de trás no chão? Fazendo uma espécia de 'cavalinho'?

IT'S DE SHOWBIZZ

É preciso ganhar dinheiro, nem que seja à custa da vida de atletas que devem ser olhados como trabalhadores. A sua profissão é esgotar-se, fisica e, muitas vezes, psicologicamente, sentados numa bicicleta cujos pneumáticos têm 2,5 cm de apoio sobre o asfalto e que aos quais se pede que subam montanhas como se não houvesse amanhã e que desçam como se estivessem atrasados 24 horas em relação à etapa em disputa.

Para além da morte de Wouter Weylandt - tentem encontrar uma foto decente dos momentos em que ele era assistido, caído na estrada, eu só consegui isto... - no Giro'11 houve, pelos menos, mais três casos de quedas feias...

Tudo isto foi banqueado porque foi da responsabilidade da organização...
E o CONI aparece a fazer triste figura.

Tal como outros organismos, onde se enquadra, por exemplo, a nossa ADoP (porque é que não é o COP? porque o vice do COP e o vice da ADoP são a mesma pessoa... por acaso, presidente da FPC) ululam a quem lhes dá ouvidos, e páginas inteiras - patrocinadas (pagas) - que o seu principal papel é...
... a salvaguarda da saúde dos atletas.

(por isso, nós, apaixonados pelo Ciclismo, provavelmente deveríamos ir de joelhos a Fátima - embora eu continue a achar que aparecer pela Tasquinha do Lagarto, ali a Campolide, e fazer uma vénia à pessoa certa - dá estatuto maior...)

Notícia desta tarde, 'piratada' do sítio de A BOLA:

O ciclista colombiano Juan Maurício Soler, da Movistar, está internado, com um traumatismo craniano, nos cuidados intensivos do hospital St. Gallen, na Suíça.
O colombiano caiu, esta quinta-feira, no arranque da 6.ª etapa da Volta à Suíça, onde ocupava a segunda posição da classificação geral, e foi transportado de helicóptero para o hospital.
Os primeiros exames médicos realizados revelaram que o ciclista da Movistar sofreu um «traumatismo craniano grave, com edema cerebral e múltiplas fracturas e contusões», segundo revelou a sua equipa.


E SURGE A GRANDE QUESTÃO!...

Se, o que verdadeiramente está em causa é a saúde - mais do que isso, a vida - dos Corredores, não será que é tempo de entregar aos 'guardiões da verdade' o controlo dos traçados que os vários organizadores 'inventam' e que, para além da sempre alegada 'tentação' ao recurso de produtos proíbidos... os matam?
Os matam na total impunidade?

Um Corredor toma um comprimido amarelo; acusa positivo!
É punido sendo que a primeira justificação das entidades responsáveis é a de que... estão a 'zelar pela sua saúde'...

E quando eles morrem por incúria de uma organização?

Se o primeiro incorre numa pena que chega à irradiação... aos segundos, quem tem coragem para interditar a corrida por um ano ou dois?

NINGUÉM!

Saúde do Corredor uma treta!
Ansia incontrolável de protagonismo de muita gentinha espalhada por toda a modalidade.
Gentinha que não vale o que come... e que, ainda por cima, é pago por todos nós...

6 comentários:

Paulão disse...

Madeira,

Concordo em quase tudo com o teu texto e acrescento, salvo melhor opinião, que em última instancia o responsável é o organismo que tutela a modalidade e autoriza a realização da prova (internacional a UCI nacional a Federação Portuguesa de Ciclismo).
Nós somos um país da treta em que temos “leis” onde tudo está previsto mas que nunca se aplicam.

Peguemos por exemplo numa prova nacional, por exemplo a Clássica de Amarante (1.12/1.13). Para organiza-la basta mandar o traçado da prova e a UVP/FPC aprova imediatamente o percurso que o “organizador” escolheu sem sequer fazer qualquer reconhecimento do percurso. Os pareceres das forças policiais e das autarquias locais nunca faz referência (nem tem que fazer) com a escolha do percurso, limitam-se simplesmente de acordo com a “lei” a autorizar a ocupação da via.

A mesma UVP/FPC que todos os anos cria um caderno de obrigações financeiras fecha os olhos ao seu incumprimento chegando ao cumulo de haver organizadores a exigirem que as equipas vão correr por valores que ás vezes nem chegam a 50% das obrigações financeiras estipuladas pela UVP/FPC e que foram aprovadas em Assembleia-geral.

Madeira, toda a gente aponta o doping como o mal maior do Ciclismo, e mesmo estando afastado da modalidade compulsivamente há dois anos (pois, não fui a Rua de Campolide ao tradicional beija-mão) afirmo que o maior problema não é o Doping. Enquanto as pessoas do ciclismo se lamentam que a Comunicação Social só sabe falar de doping, que isto aquilo e aqueloutro vão-se esquecendo dos verdadeiros problemas “internos” da mesma, mas eu já desisti de remar contra a maré e aliás nem á berma da estrada vou ver uma prova a passar.

Deixo uma palavra de incentivo à ACM que é a única associação regional do país que ainda tenta fazer prevalecer os seus direitos.

E mais não digo porque também não sei...

Abraço.

Guilherme Miranda disse...

Eu sou um entusiasta de ciclismo, principalmente de história, mas também estou a par do que se passa na actualidade e gostaria bastante de falar com o senhor, dado que aprecio muito os seus comentários e artigos. Posso contactá-lo por email.

Atenciosamente

Guilherme Miranda

mzmadeira disse...

Com certeza que sim Guilherme

Guilherme Miranda disse...

Pode disponibilizar na sua pagina de perfil ou quer saber o meu?

mzmadeira disse...

Desculpa Guilherme, pensei que estava lá... mzmadeira@hotmail.com, bem vindo!

Guilherme Miranda disse...

Olá

Ainda bem que o seu Blog esta outra vez totalmente funcional. Recebeu o meu email?