quinta-feira, agosto 04, 2011

ANO VI - Etapa 58




PRÓLOGO

FAFE-FAFE (CRI), 2,2 km



E saiu para a estrada, ainda que forma de apresentação individual, mais uma Volta a Portugal.

Começo por registar a fraca empatia mostrada pelos OCS. Só A BOLA manteve a tradição de publicar um 'caderno'. '

Chapa 4', é verdade, mas fê-lo. A concorrência apenas aumentou o número de páginas, não acrescentando nada.



Aqui sou obrigado a 'cortar caminho'.

Já vamos ao Prólogo.


A meio da semana vi, com estes meus olhos, o Joaquim Gomes defender na televisão que 'a passagem da Volta a internacional é fundamental'. Deduzi, como é lógico, que - na escola, no meu tempo, ensinaram-me a Lei de Lavoisier - o princípio dos 'vasos comunicantes' tem que ser recuperado.



Se queremos uma Volta (desistam, de uma vez, por favor, da história da Volta para consumo interno) que justifique o que, hoje já é falacioso, ser a 4.ª maior, na Europa, depois de Tour, Giro e Vuelta, não a podemos fazer com pelotões destes.



Aliás - e mudarei de opinião se demonstrarem que estou enganado - a nossa Volta, mesmo que a RTP a disponibilize no seu canal Internacional, não é vista a não ser pelos portugueses.


Quem é que tem, por esse mundo fora, a RTP Internacional... dizendo de outra forma, eu tenho a TVE 24 Horas (que é diferente da TVE Internacional) mas nem sei em que posição está na grelha.



Curiosamente, num dos jornais de hoje leio declarações do Joaquim Gomes diametralmente opostas àquelas que ouvi. Que o futuro da Volta pode passar pela (mais uma) descida de escalão e voltar a ter 15 dias. A notícia não está assinada e, hoje em dia, qualquer estagiário é escalado para a Volta sem ter o mínimo de preparação.


Foi isso que ouviu do Joaquim Gomes, ou o que julgou ouvir?


A mim faz-me lembrar uma velha, por demasiado batida 'tecla' desde há 'séculos' defendida pelo prof. José Santos que adoraria ter uma Volta a Portugal disputada apenas... pelo se clube!


É impossível, toda a gente que sabe os regulamentos da UCI o sabe.

E o presidente da FPC fez questão de o sublinhar esta tarde à RTP.


Mesmo que que a Volta baixe de escalão, eu diria até de outra forma: se a Volta baixar de escalão fica mais próxima das quatro etapas do que das 15, e quem sustentar o contrário está a brincar connosco.

(Mas ninguém os impede de bricarem com quem cai de pára-quedas no pelotão de jornalistas que cobrem a Volta. Só não percebi ainda o que querem atingir...)




Ainda antes de escrivinhar umas linhas sobre o prólogo de hoje, gostava de deixar no ar uma pergunta que, creio ser mais do que justo, merece uma resposta e não exclui o Camarada que, não a tendo feito, escreveu a resposta.



Refiro-me à curta entrevista que o Miguel fez ao José Martins.

A dada altura este diz - podem ter a certeza de que está absolutamente certo - que 'apesar do seu tremendo valor, a maioria dos Corredores não recebe mais do que o salário mínimo'.




Com as saídas de David Blanco e de Cândido Barbosa eu duvido mesmo que haja algum Corredor no pelotão nacional a receber 1000,00 euros mensais, como sei que isso não baterá certo com o declarado - e aceite por esta - à FPC, que o sabe tão bem quanto eu, que dizer?


É ilegal? Pois é. A letra de um contrato é para ser respeitada.

Como provar?... Impossível sem a colaboração dos Corredores.



É então bem feito, já que o aceitam, sabendo que há 'balizas' para os orçamentos das equipas que, para além de 'verificadas' pela FPC são entregues à UCI.

Esta, é evidente, não vai confirmar caso a caso. Confia nas suas associadas!


Se estou a dizer que a FPC é conivente com estas irregularidades?

Não posso!

Precisava de ter em minha posse um contrato 'oficial' entre um Corredor e a respectiva equipa... e depois o seu recibo de vencimento!...




E até digo mais, há corredores que estão a pagar para correr.


Aqueles que foram 'tramados' pelo recuo da Liberty Seguros, que anunciou Urbi et Orbi que ia avançar com uma equipa Continental e depois teve que recuar, a maioria desses Corredores - os que ainda conseguiram encontrar uma 'mão amiga' para não ficarem no desemprego - estão a ganhar entre 200 e 350,00 € por mês.



Os jovens que 'estão muito contentes' por lhes ter sido dada uma oportunidade para serem... profissionais, a maioria deles estão a correr graças àquilo que, em momento de inspiração, há já alguns meses e reportando-se a atletas da canoagem, o Carlos Flórido [d'O Jogo] escreveu que sobrevivem graças a um... "paitrocínio".

Para quem passou os olhos sem ter lido bem a palavra: à custa dos pais.



É esta a realidade do Ciclismo em Portugal.

Este ano?

Mas que ingénuos...

Há anos que é assim!


O assunto não morre aqui... prometo.



E EIS A VOLTA!... VIVA A VOLTA!



Por alteração da consulta que tinha marcada para hoje, a meu pedido, que pretendia não perder um dia de Corrida a sério, afinal fiquei em casa e assisti ao Prólogo desta 73.ª edição da Volta a Portugal.



Tentar 'ler' num crono individual de apenas 2,2 km, sem dificuldades de maior, o que o futuro da prova nos reserva seria loucura.


Fiquemo-nos pela leitura dos resultados e... por algumas (curiosas) declarações de quem está demasiado habituado a uma Imprensa inóqua.
.


.

Nota 10, claro para a LA-Antarte que, não só venceu com o Hugo Sabido - já merecia - como conseguiu o feito de meter cinco homens dos primeiros dez da classificação final. Há meia dúzia de anos atrás - e sem desprimor - diria que a equipa de Paredes tinha já feito a sua Volta. Agora não!



Só temos quatro equipas nacionais - com todo o respeito pelos jovens da Selecção, espero que saibam que se não tomarem alguma iniciativa individual, não esperem nada do carro - e todas elas viram a CS 'escolher' um ou dois homens seus como... 'favoritos'.




E o primeiro sinal, negativo, veio do Carlos Pereira.

'Que quem tiver que assumir as suas responsabilidades o faça!', afirmou.

Leitura imediata, e conhecendo-os a todos tão bem como conheço, amanhã ninguém vai mexer uma palha - e a etapa é longa - pelo menos até perceber que também tem os 'calos entalados'.



Que trabalhe o Paredes!


Mas posso a estar apenas a ser injusto, admito-o.

Ele também disse que 'quando tivermos que assumir, lá estaremos'

Até ficaria extremamente satisfeito se o Carlos Pereira me contrariasse.



Já afirmei que a 'escolha' dos candidatos foi iniciativa da CS, não das próprias equipas que, depois, não podiam contrariar o que já tinha sido escrito.



Não é verdade. Sejamos honestos.

Sejam honestos.



Só uma equipa apresenta, e faz muito bem em se... 'reservar' das atenções gerais, um conjunto para ganhar esta Volta. A não ser que, como o Marco Chagas não se esquece de (re)lembrar, das equipas estrangeiras 'salte' uma surpresa.


Atenção a Thomas Dekker (digo eu!...), até porque tem equipa!



Mas temos uma formação que já se 'habituou' a ganhar; que está perfeitamente oleada; que tem um director-desportivo inteligente... aquele que melhor lê a Corrida e o que menos medo tem te arriscar. E, repito-me, uma equipa perfeitamente oleada.

Digo mais ainda... E livre de ter de prestar vassalagem a nada mais que... nomes.



Querem que eu arrisque UM nome como principal favorito à Vitória Final?

Sem problemas...

... amanhã, depois de ler os vossos comentários




É algarvio e de Olhão!

3 comentários:

Carl Floyd disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Tio Jorge disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
mzmadeira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.