quinta-feira, outubro 29, 2009

ANO V - Etapa ZERO

TEMPO DE RECTROSPECTIVA
(com algumas ‘mea-culpa’)

Faz esta madrugada, daqui a pouco, quatro anos que o VeloLuso nasceu.



E nasceu, como seria bom de ver, com um prólogo. Para trás, e subtraíndo as notas, as adendas e tudo o qe achei que não merecia ser... blogável, ficaram 1903 escritos. Nada do outro Mundo para 4 Anos. Mais de um texto e meio por dia... todos os dias.
Sendo que nem todos os dias escrevi...
Sendo que, durante alguns meses tive dois parceiros de escrita, primeiro a Sandra Gomes, depois o Jorge Paulino.

Tem, esse tal prólogo, a data de 29 de Outubro de 2005 e a hora de postagem reporta às 3.34 horas.

O VeloLuso cumpre 4 anos de vida.
Não nego, nunca o neguei, que este espaço fui obrigado a criá-lo porque, na altura, vingava um outro que até tinha começado bem, decaíra para o vulgar, era palco de acusações gratuitas, de discussões estéreis e onde metade dos participantes só lá ia para provocar a outra metade.


I - Alturas houve em que de Ciclismo nada se falava...
... e eu, ingenuamente, acreditei que podia endireitar aquilo.
Contava com alguns nomes que sempre se preocuparam em discutir o Ciclismo, mas a partir de dada altura já ninguém se atrevia a escrever fosse o que fosse a concordar comigo.
Cometi erros? Não o negarei…

Fui forçado a isso?, ao fim de cinco anos acho que, pelo menos os mais tolerantes hão-de concordar que sim.

Tive pessoas com as quais mantia, então, relações muito estreitas que não se cansaram de me avisar. Foi um erro ter entrado num espaço de curiosos e meninos rabinos usando o meu nome, nome conhecido em todo o meio velocipédico.
Jamais pensei deixar, onde quer que fosse, a minha opinião senão subscrita com o meu nome. Verdadeiro.
.
II – Para além do desgaste que constantes quezílias...
... verificando que ninguém ligava às minhas ideias que eram de imediato atropeladas por ofensas gratuitas só porque levavam o meu nome, sentindo-me isolado – os responsáveis pelo sítio preferiram, sempre, banir-me a mim e fizeram-no por três vezes (ok, as últimas duas já o VeloLuso existia…) – como não percebia, e continuo a não perceber nada destas coisas de informática, tentei criar um Blog meu.
A primeira tentativa foi gozada até mais não…
É passado. Esqueçamo-lo.

Curiosamente, passei por tudo. Do nicho que começou por me apoiar haveria de sair o mais acérrimo crítico…
Uma das pessoas que, mais tarde, apareceu a apoiar-me começou por se divertir a enxovalhar-me por tudo e por nada.
Mas não guardo ressentimentos.

Percebi que estava no local errado, no momento errado.
E estiquei a corda já com o VeloLuso em velocidade de cruzeiro o que, felizmente, aconteceu rapidamente.

FIM DESTE CAPÍTULO

I - Entretanto, e com a ajuda de um amigo...
... descubro o Bloguer, então a dar os primeiros passos, e crio o VeloLuso.

Depois de mais uma vez ter feito o Troféu Joaquim Agostinho, a Volta a Portugal e Volta a Espanha de enfiada, sem praticamente vir a casa, estava em pleno gozo de férias.

Foi esta a primeira mensagem que deixei escrita, exactamente no dia 29 de Outubro de 2005, às 3.34 horas da madrugada.
.
PRÓLOGO - Serve este post assim quase como prólogo... não vale ainda, é apenas para por a máquina a andar. Neste espaço vou escrever sobre ciclismo. O ciclismo em Portugal, hoje e antes; o ciclismo lá fora. Sem distinções.Será como que um diário. Qualquer coisa onde quero deixar o que penso, no momento, sobre o que for.
E entrei, como sempre o faço, de coração e mente aberta.
O grande objectivo era o de AJUDAR, dentro daquilo que estava ao meu alcance, a MODALIDADE pela qual há muito me apaixonara.
.
Depois disto, deixei críticas, fiz balanços, avancei com ideias, apresentei propostas – e não esqueço que, a uma delas, o próprio doutor Artur Moreira Lopes me contactou a dizer que achava bastante interessante e que haveríamos de nos encontrar para falar melhor dela - propus o óbvio, para o Ciclismo doméstico poder crescer, o Ciclismo Português tinha (TEM) obrigatoriamente que se mostrar lá fora, não com um ou outro exemplo de corredor de sucesso, mas com UMA EQUIPA que funcione como nossa montra, equipa que tem que ser patrocinada pela FPC e outros organismos estatais. Sim... ao estilo da Astana!!!!

II – Depois, o VeloLuso conheceu altos e baixos...
... fugiu, aqui e além, dos propósitos para que eu o tinha criado.

Há uma explicação para isso, mas não vamos agora entrar por aí…
Cometi excessos?
Sim!
Tive razões para isso?
Talvez… embora não me custe nada dar o braço a torcer e reconhecer que não era o sítio certo para emitir certas opiniões.
Perceberam-me?
Não!
Fui penalizado por isso?...
... fui!

III – Tento reequilibrar-me...
... passo a fazer apenas comentários à posteriori… abro este espaço à divulgação de acções que, na altura, mais ninguém achava interessante.

IV – E surge o caso-PCC...
... já, apesar contra minha vontade, afastado da modalidade mas como nunca deixei de estar bem informado – nomeadamente em relação aos recuos e avanços do caso Operación Puerto – não hesitei um momento sequer e fui o primeiro – ou o único? – a denunciar a ilegalidade da operação conjunta entre a PJ (levada ao engano) e o CNAD.

Não percebo, ainda hoje, porque ninguém – até porque o desfecho da Operación Puerto ainda estava tão fresca – escamoteou o facto – que viria a revelar-se preponderante no processo cível (ainda que este não esteja terminado) que a segunda instituição jamais poderia fazer uso de provas às quais NUNCA poderia ter tido acesso não tivesse elementos seus colados à PJ.

E isso ainda não foi dito!

E por isso continuo a achar que os castigos – aos corredores – emanados do Conselho de Disciplina da FPC são passíveis de contestação.

apanharam produtos alegadamente proíbidos ma posse de Corredores porque estavam lá quando a PJ, com mandato de busca e captura vasculhou – o que ao CNAD está interdito – a casa dos agora penalizados.
O CNAD TEM QUE APANHAR casos positivos de doping.
Apanhou algum? ATENÇÂO: neste caso?...
NÃO!...


IV – Bati-me, e ainda não desisti...
... pela inocência dos Corredores.

O Magistério Público teve a mesma opinião.
Sobre esta fase final, até agora, vou manter-me em silêncio…
Entretanto sou envolvido num processo cível por alegado atentado ao bom nome em relação a uma pessoa que, sobre a sua assinatura, legitima o atentado ao bom nome de uma dúzia de pessoas. Metade das quais já ilibadas, quer pelo Magistério Público, quer pelo Conselho de Disciplina da FPC…

V – Neste meio tempo perdi 99% dos ‘amigos’ que tinha no meio…

MAS ISTO É PASSADO

O VeloLuso fez QUATRO ANOS.
Ganhou amigos, perdeu amigos… apesar de eu saber que continuam visitantes (apesar de eu me ter cortado de modo a que não haja motivos para que gastem tinta e papel para fazer prints para ir entregar ao fundo do corredor)…

Estou mais contido?
Talvez, um pouco.
Erros todos cometemos, destacam-se aqueles que aprendem com os erros cometidos…

Uma coisa é certa e isso posso garantir porque só por cima do meu cadáver o impedirão: haja mais atropelos como os que aconteceram neste passado recente que eu cá estarei para os denunciar…

… entretanto, e como devem calcular,
há coisas que ainda não se sabem.

Eufemismo ridículo…
Há coisas que já se sabem há meses… e, mais dia menos dia, todos saberão.

OBRIGADO A TODOS

Na passagem desta data, resta-me agradecer a todos os VERDADEIROS amigos que, juntos, não me deixaram cair…

Quem me conhece, quem verdadeiramente me conhece, sabe que, embora o objectivo principal do VeloLuso seja o de tentar impulsionar o Ciclismo português – com o senão de não poder vir aqui falar das grandes vitórias conseguidas, porque isso é notícia e, trabalhando num Jornal, isso inibe-me de aqui fazer noticiário -, estarei sempre atento para que, seja lá quem fôr, o não arraste na lama.

Não da forma… habitual, antes que algo seja provado.
Porque depois de não provado… não há espaço para o noticiar!

Em suma... este dia é apenas mais um.

O VeloLuso, enquanto eu puder, sentor forças e motivação, vai continuar - dentro das limitações a que estou obrigado - a pugnar pela defesa dos mais fracos.

E os mais fracos têm sido sempre os Corredores.
É com vocês que eu estou... mais amigos ou... menos amigos. Nunca olhei a nomes.
Façam-me o favor de o reconhecer.
E assim continuará a ser.

3 comentários:

Pedro disse...

Parabéns Caro Manel!

Já passou um tempo, é verdade.

Tenho gosto em dizer-lhe que eu sou um daqueles que vem cá TODOS os dias. Devo ter lido (e por vezes relido) todos os posts e deixei alguns comentários.

Espero continuar por, pelo menos, mais 4 anos.

Grande Abraço!

Pedro Caetano

cristina neves disse...

um grande beijo Zé,

sem ti alguns momentos durante este ultimo ano teriam sido bem mais dificeis do que o que têm sido,

força para pelo menos mais 4 anos
cristina neves

O Praticante - Publ. Revistas e Org. Competições disse...

Boa Tarde, Sr. Manuel José Madeira,
Tendo visitado alguns dos seus blogues e visualizado que é um adepto do ciclismo, gostaria de o convidar a colaborar com a nossa publicação desportiva "O Praticante" de distribuição Gratuita.
Poderá apreciá-la através do link: http://www.yudu.com/library/13353/davidsilva-s-Library
Através do link:http://opraticante.bloguedesporto.co, pode visualizar noticias de que tomamos conhecimento e temos dado divulgação.
E através do HI5, em http://opraticante.hi5.com poderá visualizar fotos de várias competições da equipa de Atletismo do Clube Desportivo Assas do Milénium, que apoiamos.
Esperamos um comentário seu a esta divulgação que vimos efectuando ao desporto, tentando contribuir para a divulgação do desporto menos divulgado por outros.
Aguardo o seu feedback.
Saudações
David Silva
opraticante@gmail.com