terça-feira, fevereiro 09, 2010

ANO V - Etapa 28

DIVAGAÇÕES

(Antes de mais, os meus pedidos de desculpa aos leitores habituais do VeloLuso. Anunciei que estava de volta, pareceu que estava de volta mas... depois eclipsei-me outra vez. Os motivos são de foro muito pessoal... A falhar, obviamente, falho aqui. Acho que todos me compreenderão...)
....

1. Continuo - agora já tenho mais - a juntar os recortes que gostaria de aqui comentar...

2. Falhei o agradecimento pelos convites que CC Loulé-Louletano-AquaShow, Paredes-Rota dos Móveis e Palmeiras Resort-Prio-Tavira simpaticamente me enviaram para estar presente na apresentação das respectivas equipas. Não me vai ser possível estar presente, mas tenho que agradecer o não se terem esquecido.

3. É com agrado que fico a saber que a Liberty Seguros, afinal - pese embora ao nível dos escalões de formação, em Santa Maria da Feira, terra de Ciclismo e de grandes Corredores - volta a emprestar as suas cores às camisolas de um clube. É evidente que o principal motivo é dar visibilidade à marca, que quer conquistar nichos de mercado, mas o Ciclismo fica-lhe em dívida.
...

Agora, o motivo que realmente me levou a roubar algum tempo extra de descanso, de que tanto ando a precisar, para aqui ter vindo escrever mais uma Etapa...

Leio na edição de ontem de o Record, esta pequena 'breve', na página 39, e transcrevo-a na integra:

CICLISMO
Federação promove debate dobre 'doping'
A Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) vai promover um congresso internacional para debater o 'doping', que deve decorrer durante a Volta a Portugal em Agosto. O evento está inserido no acordo de patrocínio entre a FPC e a Liberty Seguros, que prevê ainda um conjunto de debates públicos nacionais sobre a luta contra o 'doping'.

Comentário...

(Duas notas prévias: a 'cabeça' CICLISMO para mim é perfeitamente clara, a intenção é discutir o flagelo do 'doping' NESTA modalidade; o facto de a acção estar inserida no acordo de patrocínio com a Liberty Seguros não é uma justificação, é uma... obrigação.)

E vou voltar a bater na velhinha tecla. Porquê confinar o flagelo do 'doping' no DESPORTO (e não só, e não só... recuem umas etapas e tentem descodificar o que eu PUDE dizer em relação a uma notícia comum) ao Ciclismo?
Há 19 anos que acompanho a modalidade e continuo a ser surpreendido por esta política autofágica para a qual não encontro explicação.

Também não advogo o 'enterrar a cabeça na areia' e fingir que nada se passa, mas...

Se há quem PAGUE o anunciado Congresso Internacional, mesmo que numa situação de estreita ligação com a FPC, porque é que não se aproveita - e o presidente da FPC até é vice-presidente do Comité Olímpico de Portugal e putativo sucessor de Vicente de Moura na sua presidência - para, e não seria em nada descabido, generalizar o problema?

A FPC prepara-se para, à custa da modalidade que tutela, remexer na ferida que todos gostaríamos de ver sarada de uma vez por todas, embora, e eu nunca fui ingénuo, todos saibamos que, com mais ou menos 'habilidade' sempre houve 'doping' no Ciclismo e sempre vai haver.

MAS NÃO SÓ NO CICLISMO!

Doem-me os dedos de tantas vezes ter teclado esta curta frase.

Não posso ficar mais tempo. Voltarei num destes dias. Mas não saio sem deixar alguns... pensamentos.

Não é à Liberty Seguros que compete encabeçar a luta contra o 'doping' no Ciclismo...

... abro um parentises para aplaudir a mãos ambas a sua disponibilidade e a sua determinação; só mostram que nutrem especial carinho pela modalidade (aspectos comerciais à parte).

... a FPC é que deveria liderar, de forma inequívoca, esta luta.
E a tal nova agência nacional anti-dopagem (que nunca aceitarei que se foque apenas e só no Ciclismo).

Mas isso não foi feito ainda.

O que é que tivemos nos dois últimos anos?
Uma arremetida, bem sucedida, segundo a 'política' da FPC e da tal agência que acabou com um dos mais bem sustentados projectos de sempre do Ciclismo português, e se houve quem tenha sido apanhado (logo castigado) foram dois, três corredores que nem sequer deram positivo em nenhum controlo - a obrigatoriedade de as equipas terem médicos está subentendida neste aspecto... o de garantir que os atletas não se expõem a situações que possam fazer perigar a sua saúde -, assunto que alimentou fértil vaga noticiosa, e depois casos com miúdos (que, em termos noticiosos morreu com a sua divulgação) e TRÊS casos positivos, QUE ATÉ VALERAM A PERCA DE UMA VOLTA A PORTUGAL que, passados todos estes meses, continua no limbo.

Foram - porque era impossível de o esconder - notícia durante uma semana e depois disso... mais nada.

Enquanto, ainda hoje, se insiste na perseguição a um Corredor - ilibado DUAS VEZES pelo competente órgão da própria FPC - niguém ainda sabe o que aconteceu aos outros....
Já saíram os castigos?
Foram punidos por quanto tempo?

Até os mais jovens, sim, porque não?
Se a ideia é erradicar o 'doping', neste caso, do Ciclismo... que melhor exemplo do que publicar em letras grandes que castigo lhes foi aplicado?...
Ao menos servia de exemplo aos da sua idade.
Os outros são adultos, sabem o que fazem... ao que se sujeitam.

E os veteranos também tinham que ser apontados a dedo.
Não aceito, não compreendo nem posso aceitar que atletas que - seria essa a filosofia - continuam a praticar a modalidade de que gostam só porque gostam... recorram - sem a mesma protecção médica adequada - aos mesmos métodos daqueles que são profissionais.

Irrita-me a hipocrisia. De todos.

De que é que irá tratar o anunciado.... Congresso Internacional?

Dos medicamentos não identificados apreendidos à equipa que foi intencionalmente destruída, ou do número da porta de uma casa de Turismo de Habitação onde não encontraram um Corredor contra o qual não têm uma única prova mas SONEGARAM um título de Campeão Nacional de Fundo?

E o futuro presidente do COP será, ou não, capaz de abrir o leque a todas as modalidades que passará a dirigir?

Esperemos para ver.

3 comentários:

2W disse...

Bem,

Já estou a imaginar o sr. Artur Lopes a explicar a sua experiencia enquanto por exemplo médico do Sporting e a afirmar que em nada foi responsavel por exemplo nos casos positivos do Maro Chagas e do Carlos Santos, digo eu não sei, até porque na altura eu não passava de um "puto" e nem sequer lia jornais...

2W disse...

Sem entrar em grandes pormenores hoje vi uma fotografia d apresentação de uma equipa que me ficou gravada na retina...

...mas sobre isso em tempo oportuno escreverei no meu blog.

Á pois, já me esqueci, atal questão da "imagem"...

2W disse...

Pois,

...e porque não fazer um congresso onde por exemplo se tratasse do problema dos custos do policiamento nas provas de ciclismo de estrada?


Pois pois, o sr. Artur Lopes com todos os seus conhecimentos e ao fim destes anos todos á frente do Ciclismo ainda nada conseguiu fazer nada sobre este assunto.

Pois, mas sobre isto não interessa falar, os organizadores que se desenrrasquem.