quarta-feira, julho 14, 2010

ANO V - Etapa 67

OBRIGADO SÉRGINHO!...

Para quem, os de boa vontade, queira olhar o Ciclismo Português e a forma como ele SE DESENVOLVEU nos últimos anos... aqui fica o desafio... Este ano, Rui Costa, Manuel Cardoso e Sérgio Paulinho já venceram etapas em etapas do Circuito Internacional... Hoje, o Sérgio venceu a eraoa do dia do Tour. É apenas o quarto português a inscrever o seu nome no mítico historial dos vencedores de etapas da Brande Boucle (ressalvo aqui, porque, de facto não me lembro, a hipóteses de José Azevedo também já ganho, pese embora integrando a equipa - uma das que representou - num crono colectivo)...



... alguém consegue recordar-se de há quantos anos eu DEFENDO uma equipa REALMENTE profissional, patrocinada por uma empresa nacional ou um conjunto de empresas nacionais, e não excluiu o Estado [Turismo de Portugal]?


O dia de hoje é do SÉRGIO PAULINHO e não vou cometer a injustiça de lhe retirar o protagonismo que conquistou, à custa do seu esforço, do seu querer, da sua vontade, da sua categoria...

Fica em aberto o tema para quem, de cabeça limpa, o queira desenvolver.

*
Nota: Não é ´patrocinando' campanhas anti-ciclismo, sejam ou não condicionadas por perniciosas parcerias, que se alavanca o Ciclismo Nacional. E acrescento, em Espanha também houve 'bernardas', tal como na Alemanha, na Dinamarca ou Itália... Lêem jornais? Encontram algum pararelo? Alguém conhece a lista de jornalistas DE CICLISMO inscritos e reconhecidos pela AIJC? Já os leram? Leram quantas vezes? Acham que escreveram alguma vez um trabalho anti-ciclismo? Têm exemplos? Quantas 'newsleters' recebem, por dia, nos seus mails? E a coragem para escrever imparcialmente, sem preocupações com patrocínios? A impagável figura que ocupa o lugar de primeiro ministro do nosso Governo, hoje, deu-lhe para assumir a figura de Editor de um qualquer Jornal. 'Brincou' - leia-se, criticou - com o facto de até ao final deste ano de 2010 - faltam 5 meses - o Banco de Portugal ter anunciado que o nosso crescimento, em termos económicos, afinal não vai crescer 0,4 mas sim 0,9% (com o que me estão a gamar no meu ordenado desde o mês passado, que tem, juntamente com os, cada vez menos que têm emprego, de contribuir para o famoso Rendimento de Reinserção Social, que DÁ dinheiro a cadastrados e até presos por crimes violentos), preferindo, na opinião do senhor Pinto de Sousa, insistir naquilo que as Organizações Internacionais especializadas insistem em apontar... para 2011 quando não é preciso ser-se licenciado em economia todos prevemos que o ano que vem vamos outra vez resvalar... até aonde? Infelizmente, nós, os que trabalhamos, vamos descobrir e sentir nas nossas contas esse resvalar. O Pinto de Sousa queria que falássemos nos 0,5%, potencializados pelo facto de estarmos em pleno período alto, no que a férias diz respeito, e chutássemos - os verdadeiros jornalistas, no caso os do sector económico - para canto aquilo que nos espera para o ano destacando uns miseráveis 0,5% de crescimento inesperado que vaí terminar no final de Setembro. Na imprensa desportiva também há quem, mesmo que lhe faltem conhecimentos, se entretenha a manter abertas feridas passadas em vez de... TEREM UMA IDEIA PARA FAZER QUALQUER COISA DE POSITIVA PELO CICLISMO PORTUGUÊS. Não dei por nada ainda.

3 comentários:

DOISW disse...

Jobs for the boys...é a impressão que fico com o que leio num determinado site de ciclismo, digo eu, não sei.

Um dia ainda muita coisa há de ser explicada sobre patrocinadores e mecenas no Ciclismo.

Há até quem já fale numa espécie de "Liga de Clubes" no Ciclismo...

José Luís disse...

Tenho 68 anos de idade, sou mais velho dois anos que a Bola, jornal que já o meu pai lia e onde eu aprendi a ler, quando aprendi a ler.

São várias as histórias de quem tenha aprendido a ler na Bola. Não é exactamente o meu caso... felizmente foi-me proporcionada a ida à escola onde, e também felizmente, não me fiquei belo bê-á-bá... Não me queixo da vida. Já estou reformado e ecerci cargos mais ou menos relevantes em diversas áreas. Perdoe-me a imodéstia.

Sei que você não me conhece, Manuel José Madeira, mas temos amigos em comum por isso, e porque sou amante incondicional do ciclismo me indicaram o seu Blog como referência, no que se refere a discutir a modalidade pela qual ambos somos apaixonados.

Não lhe minto. Por vezes o Manuel extrema a sua opinião, mormente em questões onde não é fácil haver consenso, mas admiro-lhe a coragem.

Aliás, não vejo em jornal nenhum quem tão abertamente se exponha como o Manuel.

Mas vamos ao que me levou a voltar a colocar aqui esta mensagem, que não é a primeira, mas não costumo manifestar-me assim - se calhar pela mimha idade e dificuldade em usar estas novas tecnilogias - publicamente.

Em primeiro lugar, porque me recordo perfeitamente, exultei, mais do que com a conquista da medalha da prata do Sérgio Paulinho nos Jogos límpicos de Atenas, com o facto de A Bola ter sido o ÚNICO jornal desportivo a fazer capa com o feito. Justificável, concerteza. Estávamos em Agosto e o futebol jogava-se ainda a brincar em aprontos de afinação de plantéis...

Pela mesma razão, ainda que de sinal contrário, foi com um grande sentimento de frustação que hoje, depois de o mesmo Sérgio Paulinho se ter tornado o quarto, apenas o quarto português a ganhar, individualmente, uma etapa no Tour, só os Jogos Olímpiicos e os Mundiais de Futebol ultrapassam a força do Tour na Comunicação Social, ver a primeira página de A Bola, que com os outros não me preocupo.

Aquele senhor que tem imensas dificuldades em lidar com a língua portuguesa pede mais dois extremos. Ok, podia pedir até uma equipa nova, não há "notícia" ali...

E a vitória do Sérgio Paulinho, embora em espaço nobre, é reduzida a quase fait-divers...

No jornal de Vítor Santos, Santos Neves, Carlos Miranda, Homero Serpa... Ninguém, em Portugal, escreveu melhor sobre ciclismo que estas quatro figuras...

A vitória, apenas o quarto português a ganhar uma etapa no Tour... do Sérgio Paulinho, minimizada...

Sei que a filosofia corrente é a de que as pessoas "comem" o que lhes dão a comer... Errado.

Esse é um princípio assumido pela comunicação social de há uns anos a esta parte mas que não é fácil de desmontar.

Manuel, com o Vitor Santos ou o Carlos Miranda, acho que o Homero Serpa numca chegou a ser director do jornal... a primeira página de A Bola de hoje teria sido preenchida com a vitória do Sérgio Paulinho na 10.ª etapa da Volta a França. Infelizmente, nenhum deles já está entre nós e os seus seguidores não aprenderam nada com eles.

Peço desculpa pelo meu atrevimento, mas não podia deixar de manifestar o que sinto. Não quando há seis anos vibrei porque o 'meu' jornal foi o único que deu a capa à medalha de prata do mesmo Sérgio...

www.ligue-ce.com.br - ToméPhoto disse...

Meu amigo,vejo que o ciclismo portugues só tem piorado,tenho seguido de alguma forma todos os acontecimentos,os bons e os maus,deste lado do Atlantico e por vezes sinto que muitas das coisas que se fez,disse,ou pensou de positivo e que foram de uma forma ou de outra passadas para os responsaveis de serviço de nada serviram,é triste.
Mas tambem olhando as imagens,sempre as imagens,dos dirigentes actuais é como se olhasse o passado,nada nem ninguem mudou de lugar,são os mesmos com as mesmas ideias e trabalhando da mesma forma e o resultado é o que se vê.
Num tempo em que era ai fotografo da PAD,ainda um dia contarei uma historia sobre a minha saida,costumavamos falar em tom de brincadeira que os ciclistas é que estavam a mais,na realidade o que queriamos dizer é que eles eram os unicos certos e é isso que se tem visto,até agora nas vitorias dos jovens no europeu.
Quanto ao futuro,se nada mudar,vamos continuar a trabalhar,voces ai,para formar atletas para não terem futuro...
Eu por aqui peguei em algumas ideias que ai não me deixavam por em pratica e passados 4 anos de aqui estar a nossa equipa tem desde hoje um campeão brasileiro em master,um oitavo lugar em cadete no nacional e um decimo segundo lugar em elite,tudo isto em BTT,em breve a estrada será o objectivo,o que eu quero dizer com isto é que precisei sair dai para poder por em pratica as coisas boas do ciclismo,num lugar como o Ceará que é dos estados mais pobres do Brasil.

Um abraço do teu amigo

Tomé Gomes