domingo, janeiro 24, 2010

ANO V - Etapa 19

O NOVO JERSEY DO COMANDANTE
DA VUELTA A ESPANHA

Depois da 'invenção' da Camisola Dourada, para não ser amarela, como a do Tour, os espanhóis regressam este ano às origens.

A primeira camisola oficial de líder da Vuelta era vermelha, a cor do logótipo do Correo de España que a patrocinava.

Como a do Tour era amarela, porque eram amarelas as páginas do L'Auto, o jornal que lançou a corrida, e como rosa era, e se mantém, a camisola do líder do Giro como se mantêm rosa as páginas do Gazzetta dello Sport.

Mas os tempos mudaram e hoje há mais valias (serão) que não são descuradas.

Para desenhar a nova camisola do líder da Vuelta foi convidado o estilista basco Custo Dalmau, cuja... proposta foi esta (a cara de parvo é do dito cujo). Consta, porém, que algo pode ainda mudar... é que o figurino não é consensual.

Ao vermelho - que nem sequer é bem vermelho - o estilista resolveu juntar umas manchas negras que, segundo a explicação da imprensa espanhola, querem representar as manchas do leopardo. O animal mais veloz da terra.
Andam enganados nuestros hermanos pois toda a gente sabe que, embora sendo familiar do leopardo, o animal mais veloz do nosso planeta é a chita... que não tem o corpo às riscas, mas... às bolinhas!

Depois, e ainda segundo a explicação oficial - mas quer-me querer que este projecto vai cair -, aquelas linhas sem fundo listado simbolizam as estradas por onde o pelotão se desenrola.

Sinceramente, acho que sim.
Que os franceses têm toda a legitimidade para terem o seu 'maillot jaune' porque a História assim o dita, o mesmo acontecendo com o rosa italiano.

E que as outras grandes provas deveria procurar uma identidade própria.
Na Volta à Alemanha a camisola de líder é branca, por exemplo.

O vermelho predominou, durante décadas, na Vuelta... tudo bem.
Para a Volta a Portugal eu proporia assim... um cinzento a dar para o escuro. Como o País.

1 comentário:

Paulão disse...

Madeira,

Em primeiro lugar aproveito para saudar este teu “regresso” ao Veloluso, fazes muita falta.

Foi com atenção que li esta tua mensagem e dou-te os parabéns pois realmente parece-me que o que queres transmitir com a mensagem se resume ás duas últimas linhas do texto.

Sendo eu português e amante do que é nacional porque é que cada vez mais se adaptam os estrangeirismos (emprego de palavra ou frase estrangeira) ao nosso vocabulário?

Porque não CAMISOLA em vez de “Jersey”?
Porque NÃO PARALELO ou PISO EMPEDRADO em vez de “pavée”?

Abraço