sexta-feira, janeiro 29, 2010

ANO V - Etapa 26

NÃO PODEMOS FICAR PARADOS...

Ainda não me pronunciei, em termos de opinião, em relação ao facto de a 'Alentejana' ter sido suspensa. Lá irei.

Também tive muita pena quando a Volta ao Minho foi suspensa, e ninguém fez nada por ela. Parece que regressa este ano, como Grande Prémio do Minho. A Associação de Ciclismo do Minho é um óasis, uma lufada de ar fresco no bafiento Ciclismo português. Como a Associação de Ciclismo do Algarve - abraço apertado Rogério, há-de haver por aí um qualquer mal entendido, e logo saberemos quem quis 'sabotar' a nossa amizade - que é, neste momento, a organizadora da maior corrida que se realiza em Portugal, Volta incluída...

Voltando à 'Alentejana'... li que houve quem tentasse que a JLSports/PAD desse uma 'mãozinha'.
Foi mesmo verdade?
De quem terá partido tão peregrina ideia?

Deixo aqui esta 'etapa' em vésperas de fim-de-semana para que, quem queira comentar, tenha tempo para buscar informações reais.

Não acreditaram naquilo que eu escrevi em Julho?
A JLS/PAD está falida.
A Volta a Portugal de 2009 foi posta na estrada pela FPC.

Mas também voltarei a este assunto.

O que urge, isso sim, é - uma vez que temos um ano (provavelmente para recomeçar do zero, não leram as declarações do presidente da FPC, que espera que a Volta ao Alentejo regresse em 2011, mas, cito: 'será difícil garantir-lhe o estatuto a nível internacional' ? - e desagregá-la, de uma vez por todas, da AMDE.
Finito!
Acabou.
Não precisamos, não queremos!
É isso que os alentejanos de boa vontade têm que começar a interiorizar.

Vá, rápido... que se crie uma alternativa.
Uma entidade independente.
Ontem já era tarde.

Associação Alentejana dos Amigos do Ciclismo (podem usar o nome que eu não cobro pela ideia), o tempo passa depressa, é preciso criá-la, definir estatutos, apresentá-los a aprovação na Assembleia da República...
Isso leva tempo.

Eu entro. Dinheiro, não tenho... mas contem comigo.

Os apoios serão os mesmos... o das autarquias que sempre ajudaram e, sendo uma associação independente do poder político, é capaz de ser mais fácil angariar patrocinadores.

Uma outra coisa é imprescíndivel que se faça... desde já.
Sensibilizar - sei lá como... não posso ter as ideias todas! - os quatro Governos Civis que cobrem o Alentejo, para que seja possível, com ou sem apoio das autarquias, ter mesmo uma Volta ao Alentejo.

Dos Governos Civis só queremos que autorizem a passagem e mobilizem as forças de segurança pública. ~
Com isto garantido, fazemos partidas e chegadas onde nos apetecer.

Se me saíssem hoje 500 mil euros no Euromilhões, só se fosse mesmo impossível é que não havia Volta ao Alentejo em 2010.

2 comentários:

Paulão disse...

Madeira,

Inicio este texto citando-te parcialmente:

“A Volta a Portugal de 2009 foi posta na estrada pela FPC.”

Concordo com o que escreveste e como eu gostaria de poder escrever sobre o tema, contudo penso não ser ainda oportuno, mas a seu tempo…


Já agora, boa sorte e que te saia os 500.000,00 euros

mzmadeira disse...

Como continuo a não conseguir inserir os meus comentários peço que coloques o mesmo na notícia.


Caro Madeira, a peregrina ideia foi minha, porque não fui eu que ajudei a matar a "Alentejana", mas, tenho a obrigação moral de não a deixar morrer.
Não porque tenha interesse em ganhar "algum" com a prova, nem meter amigos meus a ganhar dinheiro à conta dela. Chamo-me António e a única que coisa que gosto de VA(queriças)CAS é na brasa, entre outras (os).
Kompadri, depois das coisas avançarem o suficiente eu explico AQUI, como tudo se passou. Uns, de forma anónima, ajudam a Volta, outros falam e querem os louros de tudo.

Teixeira Correia