sexta-feira, janeiro 29, 2010

ANO V - Etapa 27

QUE PREVALEÇA A JUSTIÇA

Hoje pelas 9.30 da manhã, o Corredor João Cabreira será ouvido, em Lausana, na Suíça, pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) cujos elementos, e parto do príncipio que são gente de bem - ok, também aproveitam as benesses de se deslocarem 'à conta', de terem cartões de crédito ilimitados.... - e, sendo gente de bem, terão estudado o processo e não consigo imaginar que não estejam confusos. Espero é que isso os não condicione nas sua decisão.

O João Cabreira está em Lausana porque a AMA (Associação Mundial Anti-dopagem) recorreu, após DENÚNCIA do Conselho Nacional Anti-dopagem (CNAD), entidade na qual, no quadro da direcção, consta o nome de Artur Moreira Lopes, presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) cujo Conselho Jurisdicional - escolhido por ele, Artur Moreira Lopes, e eleito com ele para os actuais Corpos Gerentes da FPC - , com direitos próprios e não passíveis de recurso, elibaram o Corredor.

Confusos?
A Federação Portuguesa de Ciclismo, presidida por Artur Moreira Lopes e através do seu Conselho Jurisdicional - repito, cujas decisões não são passíveis de recurso - é posta em causa pelo CNAD, no qual o mesmo Artur Moreira Lopes faz parte da direcção, está hoje a julgamento, pois não, não é só o Corredor, é a FPC também, em sede do TAS.

A independência do Conselho Jurisdicional da FPC é de aplaudir, mas a 'agressiva' falta de solidariedade da sua Direcção merecia uma tomada de posição que não poderia ser outra que não a demissão, em bloco, do CJ.

Sem CJ, os Órgãos Sociais da FPC ficariam amputados e seria preciso, pelo menos, fazer novas eleições, nem que fosse apenas para este órgão.
Eu sei que é confuso.

Nem eu entendo! Melhor dizendo, porque não sou mais que todos vocês, TAMBÉM eu não entendo.

8 comentários:

cristina neves disse...

Olá Zé, não publiques isto foi só esta a forma que encontrei para desabafar contigo,

por incrivél que pareça, só hoje vi uma noticia do expresso publicada a 09 outubro 2009 onde falam do caso la mss e dizem que o caso do Bruno jamais será resolvido e que ele acusou doping antes uns tempos da prova!!!!!o Bruno nunca mas nunca Zé acusou doping, juro por tudo o que me é mais sagrado, se fosse verdade eu tinha-te dito!!!não sei onde foram buscar aquela horrivél noticia, meu Deus!!!!desculpa o desabafo.

Paulão disse...

Madeira,

Não sejas mau com Sr. Artur Lopes até porque segundo se diz ele em 2012 vai candidatar-se a dirigir o COP e que ele não esquecendo as origens irá obviamente continuar a ajudar o Ciclismo, até porque quanto mais não seja e segundo os Estatutos actuais da U.V.P./F.P.C. ele irá continuar na U.V.P./F.P.C. como Presidente de Mérito (penso não me ter enganado no nome do cargo).

Paulão disse...

A propósito,

Sabes quais são os cargos que o Sr. Artur Lopes (Presidente da U.V.P./F.P.C.) ocupa neste momento e simultaneamente no Desporto e/ou em órgãos ligados também ao Desporto sejam eles a nível interno ou internacional?

Paulão disse...

Ainda a propósito,

No teu texto sugeres que os membros do CJ se demitam por falta de solidariedade da direcção da U.V.P./F.P.C., certo?

Achas mesmo que o fazem?

Pergunto pois não sei, mas não são eles também remunerados pelo exercício da função?

Apesar de saber a resposta pergunto também, onde param (no Ciclismo) todos aqueles que tiveram opinião contrária ao sr. Artur Lopes? É que por muito esforço que faça já não vejo nenhum no Ciclismo, ou melhor vejo um mas como Director Desportivo e cumulativamente Presidente da APCP e da CPA, pelo menos por enquanto (mas todos sabemos o que o sr. Artur Lopes fez à APCP e com a desculpa dos organizadores de provas “fugirem” aos impostos não pagando IVA sobre o valor dos prémios monetários aos corredores).

Dos ausentes estou a lembrar-me por exemplo do um antigo Presidente da Associação de Ciclismo do Porto (Sr. Joaquim Leite) assim como do Sr. Castro (antigo Presidente da Associação de Ciclismo do Minho) que apelidavam o sr. Artur Lopes de “cowboy” do ciclismo.

Na altura não compreendia mas agora e NÃO subscrevendo esse “piropo” compreendo-os perfeitamente.

aamorim disse...

Só lamento que apenas neste blogue "pessoal" (no fundo é um pouco de todos nós, os que gostam de ciclismo) seja feita alguma "contestação" à actuação dos "nossos dirigentes". E sempre pelos mesmos!!!
É de lamentar que todos os agentes ligados à modalidade não "os tenham no sitio" e continuem a contestar algo mas sempre em surdina...
Enquanto isto continuar, a modalidade irá continuar a definhar. Lamento que assim seja!
Abraço para ambos.
Amorim

mzmadeira disse...

Começo pelo António Amorim...

O VeloLuso é, de facto, um Blog pessoal, MEU. A minha última ligação ao Ciclismo. Mas todos vocês sabem que aqui têm espaço para os vossos comentários, para os vossos desabafos... Só vos peço que - e sabem todos qual a situação em que estou metido - evitem piorá-la. No fundo, o único responsável por este espaço sou eu e de nada serve assumirem o que dizem. Quem gere o Blog sou eu, logo... sou sempre responsável.

mzmadeira disse...

Agora para o Paulo Sousa.

Desculpa amigo, aqui, no meu peito, és o Amigo Paulão, mas em público és o Paulo Sousa. Embora saiba que toda a gente te conhece melhor como o Paulão. Um dos poucos Homens que neste meio já mostrou Urbi et Orbi que tem espinha dorsal e - não é da estrurura física, não - a sabe manter direita...

Tocas um ponto sensível. Onde andam os 'só porque sim' foram, durante anos, detractores do presidente da FPC?
Cansaram-se? Desinteressaram-se? Acomodaram-se ou, é a opção que eu escolho, com tantos problemas e tantas dificuldades que assolam o Ciclismo... encolheram-se?

Pessoalmente nada tenho, nunca tive, contra o Doutor Artur Moreira Lopes e, sinceramente, tenho pena que a nossa relação tenha, pura e simplesmente passado a 'zona cinzenta' - que ainda permitiria a troca de algumas opiniões - para a pura ausência de relação.

Divergências em relação ao presidente da FPC, ah!, isso é outra coisa e assumi-as sempre que o achei pertinente. Sem 'feed-back'. O que, numa leitura cristalina do que as sustentavam (sustentam) me leva a aceitar que o dr. AML me dá a mesma importância que, nas Fábulas de La Fontaine, a raposa dava às uvas... 'Não prestam, estão verdes', só porque delas não se alimenta.

mzmadeira disse...

Não é cobardia, e quem me conhece sabe que não sou cobarde.

Contudo, também ainda não sou (tão) doido assim. Mas estou a arriscar. Sou o primeiro a achar que este assunto merecia uma 'Etapa', mas não me posso dar ao luxo de me autofragilizar em questões legais. E, no caso, porque tenho que citar o meu jornal, corria esse risco. Por isso, e peço-vos, desde já as minhas desculpas, 'escondo' esta entrada num comentário. Que espero (desejo) que leiam. E compreendam, pese embora dio outro lado esteja um mero colaborador. Bem 'encostado' e no qual já não confio mais.

Na edição de A BOLA do passado dia 28 (5.ª feira) e numa coluna de opinião, fiquei chocado com algumas afirmações.

Primeiro, o signatário assumiu, desde o princípio, uma posição extremamente negativa em relação ao 'caso-Póvoa'. Depois, alimentou, com alguma insistencia, que ainda hoje dura - não se refere ao João Cabreira sem acrescentar que tem um caso por resolver com o TAS -, contra um Corredor em particular.

E O que leio na página 40 da referida edição do Jornal, a partir da linha 23?

Isto: 'o resultado destres casos [refere-se á Liberty Seguros] vai terminar com três corredores a serem suspensos como se fossem os únicos réus.'

Logo a seguir linha 26: 'À boa maneira portuguesa, mais uma vez os principais culpados vão ficar impunes...?

Eu 'leio' aqui que ele sabe quem são os responsáveis, o que é sublinhado um pouco mais á frente...

... linha 37... 'Perdeu-se a oportunidade de desmascarar quem trabalhou no escuro e provocou o caos no ciclismo, mas quem o poderia fazer preferiu ir atrás de promessas e pedidos de amigos, branquear a situação e permitir que esses senhores possam continuar a conspurcar o ciclismo português.'

Ora é fácil de perceber quem é que 'preferiu ir atrás de promessas?... o Corredor português envolvido.

Mas... quem é que 'trabalhou no escuro?'. Porqwue não é denunciado?

Talvez porque...

... linha 51...
'... ameaçam os jornalistas que assumem contar a verdade?'

Foi ameaçado? Por quem?
Se assume contar a verdade é porque dela é conhecedor... se não a conta - tem medo de quê? - é porque não quer.

Mas que todos os que leram esta prosa devem ter ficado com a 'pulga atrás da orelha', isso devem.

O mal é que quem serve demasiados amos, quem não é capaz de ser isento... fica refém dessa inadmissível conduta.

O que, para mim, não justifica o medo de contar o que sabe... ou justificará?

Heróis com pés de barro. Mais cedo ou mais tarde revelar-seão como, na verdade, são... marionetes nas mãos de todos aqueles perante os quais se agaixou.
Tenho muita pema dele.