quinta-feira, junho 25, 2009

II - Etapa 457

DOIS PORTUGUESES NO TOUR?
PODERÁ VIR A SER REALIDADE!

A formação espanhola Caisse d'Épargne - impedida, por métodos incrivelmente kafkianos de fazer alinhar o seu chefe-de-fila natural no Tour - já tem, mais ou menos delineada, a equipa que apresentará à partida, no Mónaco.
E pode haver uma surpresa.

Uma agradável surpresa, para todos nós, portugueses.

Transcrevo, o comunicado que me chegou:
Eusebio Unzúe já escolheu seis dos nove corredores que irão participar no próximo Tour de France que arrancará, no Mónaco, no próximo dia 4 de Julho, um sábado.
Os seleccionados são David Arroyo, Iván Gutiérrez, Luis Pasamontes, Oscar Pereiro, Luis León Sánchez y Xabier Zandio.
Os outros três corredores serão indicados após a realização dos Campeonatos Nacionais de Estrada e sairão do quarteto formado por Rui Costa, Arnaud Coyot, José Joaquín Rojas y Rigoberto Uran.

A Astana ainda não revelou a equipa que levará a França e o que sabemos, e o que foi veículado pela Imprensa, é que Alberto Contador quer Sérgio Paulinho com ele na equipa. Aliás, será por estar na calha para o Tour que o Sérgio não vai participar nos Nacionais.

Em contrapartida, o Rui joga nos mesmos Nacionais a provável estreia na maior Corrida do Mundo.

Torço por ele.

5 comentários:

Pedro disse...

Manuel José Madeira, o Sérgio já está confirmado. Eu sei que na altura em que escreveu o texto ainda não tinha sido divulgado o plantel para a Prova mas agora que já foi, aqui ficam os nomes:
Lance Armstrong
Alberto Contador
Andreas Klöden
Levi Leipheimer
Dimitriy Muravyev
Sérgio Paulinho
Yaroslav Popovych
Gregory Rast
Haimar Zubeldia

E quanto ao Rui, eu não sei se será bom ele fazer um GT logo na sua primeira época ao mais alto nível depois de já ter feito tantas provas de alto calibre. Se é verdade que leva nas pernas cerca de 35 dias de corrida (aproximadamente o mesmo que os grandes favoritos para a prova) e que não será pelo desgaste físico que irá ser prejudicial a participação dele, a nível psicológico pode ser devastador para um corredor jovem que por tantas situações de alta pressão já passou esta época. Mas, a fazer um GT, que seja o Tour, já que a equipa não tem grandes expectativas para a corrida ao contrário da Vuelta onde vão estar 8 corredores a trabalhar para o Valverde.

E já agora, um comentário ao facto de ver que também o senhor usa o site biciclismo como fonte de informação (posso estar errado, mas digo isto porque também lá a lista tinha a mesma ordem dos corredores e porque se esqueceu de mudar os y por e - por amor de Deus não promova mais um acordo ortográfico). É realmente um bom site de informação sobre ciclismo. Até dá pena ver que por vezes eles dão notícias sobre equipas/corredores portugueses antes dos próprios OCS portugueses. Leva-me a pensar que alguns andam a dormir...

Atenção que não estou a atacá-lo, você já faz bem mais do que a sua obrigação neste blog. O problema são os supostos profissionais que, sem escreverem um blog, parecem mais interessados em dar opiniões do que notícias.

mzmadeira disse...

Caro Pedro,

antes de mais nada que fique bem claro que não me senti, nem sinto, nem um pouco aborrecido. Era o que faltava!

Mas esclareçamos uma coisa, por ser de extrema importância:

Sou viciado em informação. Já o tinha confessado.

Compro, certinhos, 128 jornais mum mês de 30 dias, mais algumas revistas; sou assinante de mais quatro revistas e três jornais que recebo por correio semanalmente; sou subscritor de cerca de meia centena de jornais regionais, na sua versão electrónica, uns grátis, outros contra pagamento (por mais louco que pareça, sou assinante, a pagar, da versão electrónica de A BOLA); aqui no VeloLuso, do lado direito da página podem ver que tenho links para 9 outros blogs sobre ciclismo, mais para a Federação Portuguesa de ciclismo e ainda subscrevo newsletters de mais uma dúzia de entidades ligadas ao Ciclismo, incluindo do site oficial do Lance Armstrong.

Todo este universo de fornecedores de informação podem constituir fonte de notícia, mas NUNCA aqui transcrevi matéria alheia sem assinalar a fonte.

Façam o favor de verificar.

Transcrevo os comunicados da ACM, por exemplo, mas escrevo sempre, no fim 'texto da ACM'.

Às vezes nem transcrevo, limito-me a deixar aqui o link até para que mais pessoas possam ficar a conhecer outras... fontes.

Já fiz as duas coisas em simultâneo. Transcrevo e deixo o link. Mais, acrescento o logótipo do jornal onde vi a notícias.

Dois ou três exemplos que podem confirmar se se quiserem das a essa tranalho: o Jornal Reconquista, de Castelo Branco, o Mirante, semanário ribatejano, o Obsservatório do Algarve...

Só cito os casos mais recentes para que, quem o queira confirmar, não tenha que procurar muito...

E claro que sigo o biciclismo, como sigo mais algumas dezenas de sites sobre Ciclismo, uns que toda a gente conhece... outros que a grande maioria ainda não descobriu.

Por acaso, ontem não vi o biciclismo. Mas achei curiosa a, chamemos-lhe... associação que foi feita pelo facto de eu ter publicado a lista dos convocados da Caisse d'Épargne pela mesma ordem. Não terá sido porque, tal como o biciclismo, recebi directamente da equipa o Comunicado Oficial? Pode ter sido, não? Foi!...

E, a verdade, é que não copiei, nem sequer publiquei a digitalização do comunicado, como vou fazer já a seguir, até porque o transcrevi, numa tradução livre, para português.

E chegamos ao incrível "Y" que, afinal de contas, sem pôr nada em causa acaba por ser um por... maior. Há coisas que não são ditas mas são pensadas; há coisas que, se calhar, nem foram pensadas mas que são sentidas do outro lado. Deste lado.

Passando para português a informação do Comunicado Oficial da Abarca Sports, S. L., por confessa comodidade, fiz um copy&paste dos nomes dos Corredores e nem sequer pensei no "Y". Era o que me faltava!...

A minha formação, tanto como cidadão como, e isto é importantíssimo, profissional, impede-me de tentar sequer fazer passar por meu um trabalho de outra(s) pessoa(s). Na minha profissão isso tem um nome: é plágio. E o maior pecado, o mais grave, na lista daquilo que não podemos, nunca fazer.

Mas creio que os exemplos que deixei atrás me ilibam. É só verificarem.

De resto, tudo bem. Apesar desta resposta, garanto que não me senti 'atacado'. Sinceramente. Do fundo de mim.

Abraço,

Manuel José Madeira

Pedro disse...

Sr. Madeira, você leu demasiado nas minhas palavras. Acredite que nunca quis colocar em causa a sua credibilidade enquanto jornalista.

Olhando para trás, se calhar deveria ter "desabafado" o que me ia na alma de uma outra forma. E percebo completamente que, depois de ler o meu comentário, se sinta na responsabilidade de responder e defender-se (independentemente de eu nunca ter tido qualquer intenção de o atacar). De facto, nunca me tinha passado pela cabeça a hipótese de tanto você como o biciclismo terem usado a mesma fonte. E foi esse pequeno desentendimento que fez grande parte da mossa.

Peço desculpa por lhe ter causado o trabalho de ter de escrever mais uma etapa à conta de um par de frases mal pensadas.

De qualquer forma, aproveita para elogiar o blog e a forma como está escrito. Aproveito todos os dias para dar cá um saltinho e participar quando tenho algo a dizer.

Cumprimentos.

mzmadeira disse...

Caro Pedro,

como logo referi, não me senti minimamente tocado com o comentário mas é verdade, senti-me na necessidade de, não defender-me porque não fui atacado - nunca considerei isso - mas a esclarecer a situação.

Acredite o Pedro que aquela resposta era (é) mais dirigida a terceiros do a a si mesmo.

E, sinceramente, não precisa pedrir desculpas. Não há motivo para isso.

Está tudo claro, espero continuar a tê.lo como leitor e, se me permite, aceite um forte abraço.

Assunto encerrado! :-)

mzmadeira disse...

Ah!!!!

só mais uma coisa Pedro...
espero que continue a visitar o VeloLuso e sinta-se à vontade para fazer os comentários que entender, só lhe peço que nunca mais use essa coisa horrorosa do Sr., brrrrrrrrr.

Amigos ou não amigos, conhecidos ou não conhecidos, sou o Manel, para quem costuma tratar as pessoas pelo primeiro nome; ou Madeira para quem prefere o apelido...

promete, Pedro?
Obrigado