segunda-feira, junho 08, 2009

II - Etapa 443

UMA PERGUNTA...
VÁRIAS CONSTATAÇÕES

Pergunta:
O que é que o Ciclismo português, na presente conjuntura, mais precisa? (*)

Chamem-me idealista, sonhador...
Chamem-me desavergonhado (no sentido que entenderem)...
Chamem-me lunático ou mesmo doido...
... o que vos aprouver.

Estou-me perfeitamente nas tintas para as vossas opiniões. As negativas, claro, que provavelmente nem por aqui surgirão por falta de coragem.

Não é fácil dar o peito às balas. Sinto-o na pele.
Mas não é por isso que deixarei de o fazer...
... se calhar sou mesmo louco!

Dividamos esta Etapa em duas meias-etapas...

1.ª meia-etapa:
Comunicado da Federação
Portuguesa de Ciclismo

Citação:
"GPAbimota terminou com um vencedor repetido, Joaquim Sampaio (Madeinox-Boavista) anteriormente consagrado na edição de 2001.

Numa jornada de ciclismo de ataque, José Mendes (Liberty-Seguros) não segurou a camisola amarela e foi batido em Águeda.

Sérgio Ribeiro (Barbot-Siper) venceu a segunda etapa.
Joaquim Sampaio, vencedor do Grande Prémio Abimota em 2001, regressou a Águeda para confirmar o sucesso na edição 2009 da prova promovida pela Associação Nacional das Indústrias de Duas Rodas que tem na região o seu principal pólo industrial e económico.


O veterano ciclista da Madeinox-Boavista - 39 anos - impôs-se na geral da corrida após a disputa da segunda etapa, uma ligação com elevado grau de dificuldade entre a Praia da Torreira e Águeda que caiu de feição ao axadrezado principal responsável pelo desempate da corrida a seu favor."

Duas notas:
-- Parabéns ao Quim Sampaio que em meia dúzia de dias venceu duas corridas;
-- Parabéns ao Sérgio Ribeiro que, depois de tudo aquilo pelo que passou - e um dia haveremos de vir a saber o que na realidade se passou - regressou às vitórias.
Abraço Sérgio...

2.ª meia-etapa
Uma espécie de enigma para ser desvendado...

Acredito que a maioria o não entenda;
estou certo que, os mais ligados ao Ciclismo vão percebe-lo perfeitamente...

"Chamo" aqui a Etapa 1022, que escrevi no dia 31 de Dezembro de 2007.
Os segundos vão logo perceber.
Espero que os primeiros, ou a maior parte deles, saibam descodificá-lo.
Não posso ser mais concreto.


(*) - De apoio. Do apoio de todos. Quando há Corridas que deixam de se fazer, quando há corridas emblemáticas e com o historial como o Grande Prémio Abimota que, num estalar de dedos, passa de prova de cinco dias para duas etapas realizadas no mesmo dia, e isto porque o promotor se recusa a ver morrer o seu sonho de décadas, quando isso acontece por dificuldades financeiras - estamos em crise, não é? - e a única coisa que o organizador pode tentar vender é a divulgação da Corrida, que depois não acontece...
Para o ano já não vai haver e isso a mim custa-me.

E agora já percebem melhor a chamada à Etapa 1022?
Pois é!...

2 comentários:

Álvaro disse...

Senhor Madeira, é a primeira vez que aqui deixo um comentário mas á muito tempo que sou leitor do seu blog, um dos poucos sitius onde se fala de ciclismo de uma forma que todos percebemos.

Não interessa para aqui, mas o Abimota é uma corrida que me diz muito e lembro os tempos em que tirando a volta ao minho era, se calhar a corida mais inportante que tinhamos depois da volta.

Ainda não á muitos anos, o Abimota era dos prémios com mais jornalistas presentes. Ora bem! A organização pagava estadia, alimentação, às vezes até o combustível e não falhava.

Havia sempre notícias nos jornais. Também é verdade que eram sempre os mesmos a aparecer.

por isso, e porque no domingo, dos três jornais desportivos, só um, o jogo, escreveu uma coisinha lembrei-me de todos os que quando vinham à pala nunca faltaram, agora nem a notícia deram.

Não concordo com tudo o que você escreve, mas é dos poucos que escreve, por isso os meus reconhecomentos.

Já agora, como mais ninguém o fez, se puder por aqui a classificação completa, pode acreditar que muita gente ficaria satisfeita

mzmadeira disse...

Isto é o melhor que encontrei [no site da FPC]. Classificações completas, isso também eu gostava de saber, até porque me está a atrapalhar o trabalho de estatística que venho a manter há anos...


CLASSIFICAÇÕES
1ª etapa: Murtosa - Torreira, 9.8 km CRE
Média de 50,651 km/h
1ª Liberty Seguros 11m41s
2ª Madeinox-Boavista mt
3ª Palmeiras Resort-Tavira a 19s

2ª etapa: Torreira - Águeda, 133.4 km
Média de 41.641 km/h
1º Sérgio Ribeiro (Barbot-Siper) 3h12m13s
2º Joaquim Sampaio (Madeinox-Boavista) a 2s
3º André Cardoso (Palmeiras Resort-Tavira) a 5s
4º Marco Coelho (SM Feira-E.Leclerc) mt
5º Celestino Pinho (Fercase-Rota dos Móveis) mt

Geral individual
1º Joaquim Sampaio (Madeinox-Boavista) 3h23m56s
2º Hernâni Brôco (Liberty Seguros) a 3s
3º José Mendes (Liberty Seguros) mt
4º Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista) mt
5º Tiago Machado (Madeinox-Boavista) mt
6º Luis Pinheiro (Madeinox-Boavista) mt
7º João Benta (Madeinox-Boavista) mt
8º Carlos Nozal (Liberty Seguros) mt
9º André Cardoso (Palmeiras Resort-Tavira) mt
10º Bruno Saraiva (CC Loulé-Louletano) mt

Geral equipas
1ª Madeinox-Boavista, 10h11m54s
2ª Liberty Seguros, 10h12m13s
3ª CC Loulé-Louletano, 10h13m19s
Geral pontos
1º José Mendes (Liberty Seguros)
Geral montanha
1º Luis Pinheiro (Madeinox-Boavista)

Geral metas-volantes
1º Alejandro Marque (Palmeiras Resort-Tavira)

Equipas de clube
1º Jorge Silva (Aluvia-Valongo)