quarta-feira, janeiro 16, 2008

1034.ª etapa

VÁ LÁ RAPAZES… É PRECISO MELHORAR
QUEREMOS MAIS, MAIS, MUITO MAIS…


Culpa dos Correios, com certeza, mas só hoje, 3.ª feira, oito dias depois – acho eu – de ter ido para a máquina, é que recebi o número 12 do Jornal Ciclismo.

Não!, calma rapaziada. Amigos e os outros…
Não sou o crítico de serviço a este projecto que aplaudi a mãos ambas.
E, se já aqui deixei algumas notas menos… simpáticas, creio tê-las justificado.
E se este artigo não vai puramente virgem de uma ou outra nota crítica é porque acho que ajudar não será propriamente dar cínicas pancadinhas nas costas.
Acho que os seus responsáveis o compreenderão.

Eu sei.

Poderão dizer “se tens críticas a fazer porque as não fazes particularmente aos seus mentores?”.

Já o fiz.
O Zé Carlos Gomes, que terei muito prazer em conhecer pessoalmente logo que surja a oportunidade, não reagiu particularmente bem, mas eu acho que isso se ficou a dever a outras “guerras”. Assim mesmo, entre aspas, de que outra forma não faria sentido.

Já esgrimimos várias vezes, nomeadamente nesta plataforma digital e em fóruns sobre Ciclismo, opiniões que definitivamente não são concordantes, mas (pelo menos é o que eu penso) essas trocas de… mimos apenas nos enriqueceu e valorizou aos dois.

Por mim – e se me permitem a veleidade de pretender ter algum peso nisto – o Zé Carlos JÁ faz parte da família do Ciclismo.
Quanto ao João é diferente.

Conhecemo-nos há quantos anos João?
Quantas vezes trilhámos a mesma estrada, partilhámos a mesma mesa de trabalho – no campo -, quantas vezes pudemos falar de Ciclismo à mesa, depois de um jantar?
Espero que o façamos muitas mais vezes…

O João Santos será, neste momento – e não me interpretem mal, por favor – o melhor informado jornalista umbilicalmente ligado ao Ciclismo.


E olhem que ele teve a coragem de se dar apesar da (muito) incómoda posição de ser filho de quem é.
Para quem não saiba, antes de ser director-desportivo o professor José Santos começou por ser jornalista. Mas agora é director-desportivo de uma das equipas do pelotão.

Se nunca os meus contactos com o Zé Carlos foram além de uns posts num Fórum de ciclismo – e meia dúzia de emails, mais pessoais – em relação ao João é um digno (em todos os sentidos) sucessor da equipa de ouro que O Jogo tinha há meia dúzia de anos atrás, com o Carlos Flórido e o João Araújo.
A BOLA tinha o Martins Morim (um perfeccionista) – que ainda temos e pode voltar a qualquer momento – e o Duarte Baião, um repórter excepcional, com faro;…
O Record conta com a longa experiência da minha pessoal amiga Ana Paula Marques, mas também com o Paulo Renato Soares e um par de jovens que rapidamente se integraram, mas, quando em 2000 A BOLA me pescou n’A Capital, a dupla Flórido/Araújo eram as minhas referências.

Para mal do Ciclismo – que não, acredito, para os próprios – ambos redireccionaram o seu caminho.

Perdoem-me a imodéstia, mas eu – apesar dos avisos de que, se ficasse nas modalidades nunca mais seria alguém – recusei ser mais um plantão nos treinos de futebol, ou nas cabines, após os jogos, porque quis estar com o Ciclismo.

Fazemos melhor se fizermos o que realmente gostamos.
Foi o que pensei.
E por isso tive que suportar – e aceitar porque as coisas não funcionam se não respeitarmos as hierarquias – a ira do meu querido João Bonzinho que ia rebentando quando eu, aceitando um cargo de maior responsabilidade no organigrama da Redacção de A BOLA, quis garantir que continuava a cobrir as corridas de Ciclismo.
O que aconteceu.

Mas este longo – e se calhar despropositado – desvio, foi só para sublinhar uma verdade inquestionável.
O João Santos é, hoje, o nosso Jornalista de Ciclismo melhor preparado.

E voltamos assim ao Jornal Ciclismo.
A este número do Jornal Ciclismo.

Há cerca de dois meses falei com o João a propósito da história do Joaquim Agostinho e não disse mais do que outros amantes do Ciclismo disseram.
Para quem não sabia nada do Agostinho, ficou traçado o seu percurso, mas de uma forma insonsa. Não acrescentando nada ao que se pode ler nas diversas – muitas, eu tenho seis - biografias do Agostinho, correu o Jornal Ciclismo o risco de, para quem está profundamente ligado à modalidade – e quem mais, que não estes, pagam o jornal (pagam!... não esperam para o recolher de borla) – o trabalho foi desinteressante.

(Perguntem ao Xico Araújo!...)
Mas disto já falei e não vou bater na mesma tecla.

Entretanto, e em conversa telefónica com o João eu falei no José Bento Pessoa.
O primeiro grande campeão do nosso Ciclismo.
Neste número lá vem um texto sobre o José Bento Pessoa.
Que não comento.
(Vai no mesmo caminho…)

O pior vai ser a seguir, quando os nomes forem mais contemporâneos.
Quando não se falar de corridas do Século XIX, mas de figuras que uma grossa maioria dos leitores mais velhos (em idade) ainda se lembram.
Ponto final neste tema.

Façam o que acharem melhor.
Mesmo que, apesar de alguém que não tenha especial apetência pelo Ciclismo seja suficientemente picuinhas para comparar datas.

(Sim estou a falar deste número!)

Não se esqueçam que hoje em dia abre-se a página do Google, escreve-se uma palavra e temos milhares de entradas com esse nome.
Mas pronto! Vamos lá a este número.
Objectivamente.

É abrangente e só não é mais detalhado porque – pelo menos EU sei – há condicionantes financeiras, em relação ao número de páginas.

Depois das “férias” de Natal e Ano Novo podiam ter feito uma edição com, sei lá… mais oito páginas.
Digo eu…

Perdem o tema-chave da actualidade, que é o número de espanhóis no pelotão nacional, mas são os primeiros a avançar com os planteis das equipas.

Já ficam a ganhar em relação aos “desportivos”…“apertados” pelos sites na Internet!

Na apresentação das equipas portuguesas FALHAM na foto do Jorge Piedade (não, não é aquela!) – andar na estrada, falar e conhecer as pessoas faz muita falta, mesmo que pelo telefone se façam entrevistas jeitosas.

Depois há outra coisa.
Após a vergonhosa opção dos jornais “desportivos” em relação à memória desse grande Senhor, que foi o engenheiro Brito da Mana – nem um se “salvou” – um jornal dedicado exclusivamente ao Ciclismo, mesmo novo, quase recém-nascido, DEVIA ter-lhe dedicado espaço mais nobre.

Mas o João é jovem e o Zé Carlos – por muito que te custe, camarada – da História do nosso Ciclismo sabes pouco.
Sabes mais da Operación Puerto

Em relação à lista das equipas ProTour… era escusado.
Fica a claro – olhando o quadro das equipas portuguesas – que não foram capazes de saber a data de nascimento de vários Corredores que vão fazer parte do pelotão português (aquele que vos devia interessar), mas lá transcreveram direitinho todos os dados recolhidos na net, em relação às equipas ProTour.

Não há ninguém que siga o ciclismo que não saiba o endereço
www.uci.ch.
Duas páginas perdidas.

E depois, permitam-me este reparo… um jornal quinzenal no qual só há UMA entrevista deixa a descoberto algo que nenhum de nós entende.
Não usem a Internet para fazer o Jornal, porque já todos lemos a Internet.
Queremos mais qualquer coisa…
Faço-me entender?

Já agora, não deixem nunca assuntos a meio.
Se no número anterior alguém pôs em causa a idoneidade dos médicos das equipas… tentem falar pelo menos com um.
Mas pronto… o Jornal Ciclismo é o que nós, amantes da modalidade, temos.
Teremos que o apoiar.

Mas não houve tempo para entrevistar o José Augusto Silvajá que os desportivos o ignoram! – para saber como e porquê foi destituído das suas funções e, 24 horas depois, a equipa acabou…

Há quase um mês que eu denunciei aqui esta situação.
Não acredito que tivessem deixado cair o assunto só porque eu já tinha falado nele…

Último e ÚNICO pedido… aceitem, na “desportiva” mais estas críticas.
Quando eu deixar de mandar “bitaites”, aí sim, preocupem-se.

PS: Tenho 32 livros - estive a contá-los, confesso - sobre Ciclismo na minha biblioteca.

Alguns escritos em línguas que nem todos dominam.
E comprei três quartos deles.
Não mos ofereceram, nem os pedinchei.
(Pronto!... Lá me deixei eu levar pela provocaçãozinha!... Também não pretendo ser perfeito!...)

1 comentário:

NETMITO-X-MULTIPLICITY disse...

ENCONTRAS DOS TEUS GESTOS AS PALAVRAS DA TUA VIDA....

Comenta:)